Salada Verde

Instituto Mamirauá lança livro sobre a Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã

A publicação é resultado de vinte anos de pesquisa de cientistas de diversas áreas junto com a colaboração das populações ribeirinhas. Disponível para download

Sabrina Rodrigues ·
20 de janeiro de 2020 · 1 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
O livro é gratuito e está disponível para download. Foto: Divulgação.

Fruto da reivindicação de moradores localizados às margens do lago de Amanã (AM), a Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã (RDSA) exerce papel fundamental para a conservação dos recursos naturais e melhoria na qualidade de vida das comunidade ali habitadas. Após duas décadas, o Instituto Mamirauá lança o livro Sociobiodiversidade da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã (1998-2018): 20 anos de pesquisas’. A publicação é destinada tanto para o público leigo quanto para especialistas ou interessados em entender a unidade de conservação. 

São 352 páginas que têm a colaboração de cerca de 60 cientistas, entre biólogos, geógrafos, antropólogos e outros pesquisadores que, juntos com as comunidades ribeirinhas, trabalharam na tarefa de usar a pesquisa científica como instrumento de transformação de realidades.

Tais colaborações são endossadas pela líder do Grupo de Pesquisa Territorialidade e Governança Socioambiental na Amazônia do Instituto Mamirauá, Ana Claudeise Silva Nascimento: “Durante a produção da obra houve um desafio da interdisciplinaridade entre as áreas envolvidas. O livro é importante nesse cenário por fazer um debate socioambiental de um determinado território, uma unidade de conservação. Além disso, é a primeira obra da instituição que reúne aspectos biológicos, sociais de organização política e de uso dos recursos naturais”, afirma Ana Claudeise.

20 anos de pesquisa da segunda reserva de desenvolvimento sustentável do país

Criada em 04 de agosto de 1998, a Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã (RDSA) é uma unidade de conservação estadual, que cobre 2,35 milhões de hectares, maior que o estado de Sergipe. A RDSA fica entre o Parque Nacional do Jaú e a Reserva de Desenvolvimento Sustentável de Mamirauá. 

A RDSA é a segunda reserva de desenvolvimento sustentável do país – a pioneira é a Reserva de Mamirauá. A Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã (RDSA) é reconhecida como Patrimônio Mundial Natural pela Unesco (Membro do Complexo de Áreas Protegidas da Amazônia Central) e se tornou Sítio da Convenção de RAMSAR – Área Úmida de Importância Internacional.

Entre as atividades desenvolvidas na RDSA estão a agricultura e a pesca de subsistência e comercial, o extrativismo madeireiro e não-madeireiro, o artesanato de cipós e talas, o manejo de peixes ornamentais e artefatos de barro. Das atividades potenciais se destacam o turismo cultural em sítios arqueológicos, a criação de pequenos animais e o manejo de abelhas. 

Mas nem tudo são flores na Reserva, a pesca e caça ilegais estão entre as atividades conflitantes na unidade de conservação.

A publicação é dividida em três assuntos: aspectos físicos e biológicos; socioeconômicos e demográficos e, por último, relacionados ao uso de recursos naturais. 

“Este conhecimento, associado à sabedoria tradicional dos moradores, é o que permite a definição de alternativas eficientes de uso sustentável dos recursos naturais, a principal estratégia de conservação da biodiversidade adotada pelo Instituto Mamirauá”, define o pesquisador do Instituto Mamirauá, Helder Lima Queiroz, na ‘Apresentação’ do livro. 

Saiba Mais

Sociobiodiversidade da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã (1998-2018): 20 anos de pesquisas

 

Leia Também

O que é uma Reserva de Desenvolvimento Sustentável

Tem boi na reserva de Amanã

 

As ariranhas estão voltando à Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã

 

 

 

  • Sabrina Rodrigues

    Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Reportagens
19 de agosto de 2015

As ariranhas estão voltando à Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã

Animais praticamente desapareceram, perseguidos devido à pele, mas hoje a população está se expandindo nesta reserva no interior do Amazonas.

Notícias
9 de julho de 2017

Tem boi na reserva de Amanã

Na RDS, localizada no interior do Amazonas, pesquisadores do Instituto Mamirauá tentam alternativas para que a pecuária não avance sobre a floresta

Dicionário Ambiental
13 de julho de 2015

O que é uma Reserva de Desenvolvimento Sustentável

Saiba mais sobre as UCs que desempenham um papel fundamental na proteção da natureza ao preservar costumes das populações tradicionais.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta