MP 910 é abandonada pela Câmara e assunto voltará como Projeto de Lei

Duda Menegassi
quinta-feira, 14 maio 2020 18:32
Sessão na Câmara sobre a MP 910 não chegou em consenso sobre a votação da medida, que deve voltar com novo texto em PL. Foto: Najara Araujo/Câmara dos Deputados

Depois de ser pauta de uma sessão turbulenta na Câmara dos Deputados na terça-feira, a Medida Provisória 910, apelidada de MP da Grilagem, irá ser abandonada pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Após reunião com os líderes partidários na manhã de quarta (13) e a contínua falta de acordo sobre a votação da medida, que perde a validade no dia 19 de maio, os parlamentares decidiram construir um novo projeto sobre o tema, para garantir mais tempo de debate entre os deputados, e que pode ir a voto já na próxima quarta-feira.

O relator do novo projeto será o deputado Marcelo Ramos (PL-AM) que declarou, em entrevista ao repórter do G1, Nilson Klava, que irá propor alterações no texto para tentar diminuir a resistência ao projeto. “Vamos parar de discutir o projeto que dá margem à grilagem e passamos a discutir um projeto de regularização fundiária para pequeno produtor rural. Colocarei uma série de travas que deixam claro que é para o pequeno produtor. Não votamos a MP porque teve problema na narrativa, o que gerou insegurança em muitos deputados. Não conseguimos comunicar que o que estava sendo discutido era diferente do que foi encaminhado pelo governo”.

Uma das alterações com relação ao texto original da MP 910 será com relação a quantos módulos os proprietários poderão autodeclarar, sem vistoria. No texto originalmente enviado pelo governo, poderiam ser terras de até 15 módulos (um módulo fiscal pode ter entre 5 a 110 hectares, dependendo do município). O até então relator da MP, Zé Silva (Solidariedade-MG) já havia proposto a alteração para 6 módulos, que o deputado Marcelo Ramos pretende seguir. Segundo o relator, até 97% das propriedades rurais se enquadram no perfil de até 6 módulos, apesar do outros 3% concentrarem mais terra.

A lei brasileira entende como pequenas propriedades imóveis aquelas com até 4 módulos fiscais. Segundo a pesquisadora do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), Brenda Brito,“um dos riscos de estabelecer como 6 módulos é que isso gere uma pressão para que de fato haja uma reclassificação do que é uma pequena propriedade e acabe tendo consequências lá no Código Florestal. Porque no Código existem regras mais brandas para recuperação de passivos de desmatamento ilegal quando é um pequeno imóvel, de até 4 módulos, e se você começar a redefinir o que é um pequeno imóvel você acaba ampliando esses benefícios e o que nós chamamos, na época do Código Florestal, de anistia ao desmatamento ilegal”, comenta a pesquisadora.

Entre outros pontos que o novo relator pretende incluir no novo projeto estão: impossibilitar que a pessoa que fizer a regularização fundiária possa fazê-la de novo em outro terreno e que não será permitida a regularização de lotes contínuos em nomes de parentes.

A sessão realizada terça-feira na Câmara não avançou a votação do texto devido à obstrução, pois o tema dividiu opiniões acaloradas entre os deputados e partidos. A nova proposta pode ser votada já na próxima quarta-feira (20). O líder da Minoria, o deputado José Guimarães (PT-CE), afirmou que a oposição é contra a proposta e que as votações devem focar apenas em medidas de combate à pandemia de Covid-19. Segundo Guimarães, partidos contrários ao governo e ambientalistas não vão aceitar votar o tema.

 

Leia também

Com impasse na Câmara, MP 910 pode virar Projeto de Lei

Em vídeo, MPF se posiciona contra a aprovação da MP da grilagem

Frente Parlamentar Ambientalista e sociedade civil se posicionam contra MP da Grilagem

2 comentários em “MP 910 é abandonada pela Câmara e assunto voltará como Projeto de Lei”

  1. NÓS DO ASSENTAMENTO IRACI SALETE EM ALVORADA DO SUL, PARANÁ, ASSIM COMO MAIS DE TREZENTOS ASSENTAMENTOS NO ESTADO , AGUARDAMOS ESTA TITULAÇÃO, QUE NOS DARA GARANTIAS JURÍDICAS, ALEM DAS NOSSAS QUALIDADES DE VIDA EM GERAL

    Responder
  2. Me assusta ver como nossa política nos dá tantas decepções. Tenho refletido muito sobre o assunto, e inclusive, tenho pesquisado muito sobre as opções de voto, já que esse ano teremos eleições municipais. Tem uma candidata que me passa uma seriedade de forma nítida e bem clara, acredito que merecemos alguém assim. A candidata possui uma gostaria de vida plausível, de infância humilde, batalhadora, tornou-se juíza federal. E nesse ano, abriu mão de seu cargo, para vir candidata, acreditando assim, poder contribuir para a sua cidade, nossa cidade do Rio de Janeiro. https://www.youtube.com/watch?v=JAPAYCnzpP0&f

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.