Governador do Pará troca chefe de investigação que resultou na prisão de brigadistas 

Governador do Pará troca chefe de investigação que resultou na prisão de brigadistas 

Daniele Bragança 
quinta-feira, 28 novembro 2019 17:09
Queimada em Alter do Chão. Foto: © Brigada de Alter do Chão.

“Ninguém está acima da lei, mas também ninguém pode ser condenado antes de esclarecer os fatos. Continuarei acompanhando o caso!”, discursou o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), ao anunciar a troca do chefe da investigação sobre a autoria dos incêndios em Alter do Chão, em Santarém, no oeste paraense. O atual inquérito, que resultou na prisão preventiva de 4 brigadistas voluntários da Brigada de Alter do Chão, está sendo questionado por ONGs, deputados, instituições e Ministério Público Federal por não apresentar evidências de que os suspeitos cometeram o crime. 

Os brigadistas voluntários Daniel Gutierrez Govino, João Victor Pereira Romano, Gustavo de Almeida Fernandes e Marcelo Aron Cwerner foram presos preventivamente na terça-feira (26). Ontem, o juiz da 1ª Vara Criminal de Santarém, Alexandre Rizzi, negou a revogação da prisão preventiva. No fim da tarde desta quinta-feira (28), o mesmo juiz mudou a decisão anterior e concedeu liberdade para os brigadistas, que deverão deixar a prisão até amanhã. 

O inquérito da Polícia Civil estava sob o comando do delegado Fabio Amaral Barbosa e, por determinação do governador, quem chefiará as investigações será o diretor da Delegacia Especializada em Meio Ambiente, Waldir Freire.

De acordo com o governador, o objetivo é esclarecer e dar transparência para as investigações. 

“Sobre o caso ocorrido em Santarém, determinei a substituição da presidência do inquérito para que tudo seja esclarecido da forma mais rápida e transparente possível. O diretor da Delegacia Especializada em Meio Ambiente, Waldir Freire, estará à frente das investigações”.

Em nota, o governo do Estado disse que não interfere nas investigações da Polícia Civil e que “não há qualquer predisposição contra qualquer segmento social”.

“O Governo do Pará reitera que as ONGs são fundamentais para a preservação das florestas no Estado, e que o Executivo continua parceiro de todas as instituições e entidades que respeitam as leis brasileiras”.

*Editado às 23h25 do dia 28/11/2019. Ao contrário do que afirmamos antes, o delegado afastado foi Fábio Amaral Barbosa. O del. José Humberto Melo apenas conduziu a operação Sairé. 

 

Leia Também 

Juiz recua e liberta brigadistas de Alter do Chão

Justiça mantém prisão de brigadistas de Alter do Chão; MPF solicita acesso ao inquérito

Polícia do Pará acusa brigadistas de colocar fogo em Alter do Chão; ONGs repudiam ação

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.