Salada Verde

Noruega suspende R$ 130 milhões para o Fundo Amazônia

Depois da Alemanha, o maior doador de recursos contra o desmatamento deixará de repassar o aporte financeiro, segundo jornal norueguês. Bolsonaro ironiza decisão

Sabrina Rodrigues ·
15 de agosto de 2019 · 2 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Vista aérea da Floresta Amazônica, em Manaus. Foto: Neil Palmer.

Depois da Alemanha cancelar o repasse de R$ 155 milhões em recursos para projetos de conservação na floresta amazônica, agora foi a vez da Noruega suspender o valor de 300 milhões de coroas norueguesas, o equivalente a R$ 133 milhões, que iria para o Fundo Amazônia. A informação veio do jornal norueguês Dagens Næringsliv (DV), nesta quinta-feira (15).

Segundo o jornal, o ministro do Clima e Meio Ambiente da Noruega, Ola Elvestuen, teria afirmado que Brasil quebrou o acordo para financiar medidas de desmatamento. A reportagem de ((o))eco entrou em contato com a Embaixada da Noruega no Brasil, que confirmou a medida. 

“A Embaixada da Noruega confirma a declaração do Ministro do Clima e Meio Ambiente, Ola Elvestuen. O governo brasileiro dissolveu o Comitê Orientador do Fundo Amazônia (COFA) e o Comitê Técnico do Fundo Amazônia (CTFA), via decreto, em 28 de junho deste ano. Portanto, dado a conjuntura atual, a Noruega não possui fundamento jurídico e técnico para realizar a contribuição anual do Fundo Amazônia planejada para este ano”, afirmou a Embaixada, em nota.

O Fundo Amazônia foi criado em 2008 e tem a gestão do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES). Os principais doadores são a Noruega com 93% e a Alemanha, 6%. O valor do aporte financeiro chega a R$ 4,6 bilhões e é aplicado para o monitoramento, gestão e recuperação de florestas públicas e áreas desmatadas. No entanto, para que o Brasil recebe o recurso é preciso que os níveis de desmatamento diminuam, se desmatar menos, recebe mais recursos.

Reações

Ao ser perguntado pelo jornal o Estado de São Paulo sobre a decisão da Noruega, o ministro Ricardo Salles desconversou: “As tratativas sobre o Fundo Amazônia ainda não foram concluídas, portanto é natural que novas contribuições aguardem esse desfecho”, disse.

Já o presidente Jair Bolsonaro, em entrevista coletiva após a cerimônia de entrega da Medalha Mérito Mauá, em Brasília, ironizou: “Noruega? Não é aquela que mata baleia lá em cima, no Polo Norte, não? Que explora petróleo também lá? Não tem nada a oferecer para nós”.

Ainda na coletiva, ao ser questionado sobre a imagem do Brasil no exterior, Bolsonaro dispara: “A imagem péssima que o Brasil tinha era a subserviência a essas potências”. E continua: “Elas [Noruega e Alemanha] não estão de olho na floresta amazônica, querem a sua soberania e a sua riqueza. Isso eu falo na Câmara dos Deputados desde 1991. Nós, na floresta amazônica, temos coisas que o resto do mundo não tem mais. E o pessoal está de olho nisso”, afirmou.

“Não tem prazer maior que você chegar na reunião do G-20, representando o seu país sem dever nada para ninguém. E ali você expor o que você tem de falar, da forma como falei educada com Angela Merkel e Emannuel Macron, dizendo que o Brasil está sob nova direção”, finalizou Bolsonaro. 

Até o fechamento desta matéria, o Ministério do Meio Ambiente não tinha retornado  o nosso contato. 

 

Leia Também

“Pegue essa grana e refloreste a Alemanha, ok?”, diz Bolsonaro sobre Merkel

Maiores doadores, Noruega e Alemanha rejeitam mudanças no Fundo Amazônia

Embaixadores da Noruega e Alemanha não descartam saída do Fundo Amazônia

 

  • Sabrina Rodrigues

    Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Notícias
3 de julho de 2019

Embaixadores da Noruega e Alemanha não descartam saída do Fundo Amazônia

Autoridades se reuniram nesta quarta-feira (03) com ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Até fim de julho, decisão sobre o fundo será tomada

Salada Verde
11 de junho de 2019

Maiores doadores, Noruega e Alemanha rejeitam mudanças no Fundo Amazônia

Proposta de mudanças não foi aceita pelos principais doadores do Fundo Amazônia, que financia combate ao desmatamento na Amazônia e manutenção da floresta em pé

Notícias
14 de agosto de 2019

“Pegue essa grana e refloreste a Alemanha, ok?”, diz Bolsonaro sobre Merkel

Presidente sugere que chanceler alemã use verba que país não enviará mais ao Brasil para reflorestar no próprio país. Alemanha protege 38% de seu território

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 4

  1. AvatarFlávio diz:

    Na verdade Noruega está demonstrando uma incompetência diplomática nunca vista. No momento em que se discute a governança dos fundos onde se demonstrou claramente desvios de finalidades, inconformidades administrativas assim como suspeição dos resultados, Noruega prefere fazer um cabo de guerra sem perceber que a posição de força é do governo brasileiro e não da Noruega.
    Quando Bolsonaro fala para gastar os recursos no maior poluidor da Europa e que nos seus primeiros 5 meses de mandado teve até mobilizações de apoio a seu governo, demonstra a inabilidade diplomática da Noruega de evitar crises e literalmente pavimentar sua saída do pais e da pior maniera possivel, ppmente quando se expõe que a Noruega é a principal acionista da mineradora Hydro, alvo de denúncias do MPF do Pará e de quase 2 mil processos judiciais por contaminação de rios e comunidades de Barcarena (PA), município localizado em uma das regiões mais poluídas da floresta amazônica. Provavelmente estão mesmo é no desespero…


  2. AvatarGeorge diz:

    Vamos, vamos ofender gratuitamente a Noruega, a Alemanha, a Argentina, a França… vamos imitar o Trump, só que sem ser uma superpotência econômica e militar que todos tem que engolir. Com certeza vai dar certo. Qualquer coisa, temos nosso novo amigo de infância, Israel. Eles comem soja?


  3. AvatarFlávio diz:

    Bom, é fato que a imagem da Noruega sai comprometida ante a divulgação de associação à empresas poluidoras na Amazonia, destaque à matança de baleias e exploração de petróleo para quem faz do ambientalismo uma ferramenta de pressão econômica e politica. Noruega quando recebe a recomendação de ajudar o reflorestamento da Alemanha que é a maior emissora de CO2 da Europa e que juntas já avisaram que não cumprirão as metas para 2030 acabaram com um mico na mão: Dinheiro é bom quando se pode usufruir de seu prestigio, se o Brasil restringe seu efeito, como é que fica? Entende-se o choro coletivo!


  4. AvatarPaulo diz:

    Os Estados, já estão esperando.