Salada Verde

Ibama autoriza contratação de brigadas temporárias para combate aos incêndios

Está prevista a contratação por até seis meses de 1.659 brigadistas para atuar no combate a incêndios florestais em 18 estados brasileiros

Duda Menegassi ·
13 de maio de 2021
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Nesta quinta-feira (13), o Ibama publicou a autorização para que seja realizada a contratação temporária de 1.659 brigadistas para o combate a incêndios florestais. As equipes serão alocadas de acordo com a seleção de áreas críticas feita pelo Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo) e os estados declarados em situação de emergência ambiental: Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rondônia, Roraima e Tocantins.

As contratações foram autorizadas pelo Ministério da Economia no dia 3 de maio, através de portaria conjunta com o Ministério do Meio Ambiente. Conforme estabelecido, os profissionais podem ser contratados a partir de maio de 2021 com prazo de validade dos contratos de até seis meses. O próximo passo é a publicação de edital, através do qual será feita a seleção e contratação dos brigadistas, sob responsabilidade do Centro Especializado Prevfogo, que gerencia as atividades das brigadas.

Normalmente o Ibama costuma iniciar a contratação das equipes de brigadistas a partir de abril, para que os profissionais tenham tempo de desenvolver ações de prevenção como aceiros e a queima prescrita, que diminuem a chance de grandes incêndios durante a temporada seca. Em 2020, o edital para contratação dos brigadistas foi publicado apenas em junho, um atraso de dois meses visto como crítico por especialistas. A época seca começa em meados de maio, com variações de acordo com a região, e é especialmente perigosa nos biomas Amazônia e Cerrado, onde costumam ser registrados os maiores incêndios, principalmente nos meses de agosto e setembro. Após perder uma área do tamanho do estado do Rio de Janeiro em queimadas, o Pantanal também é alvo de preocupações este ano e organizações alertam que o fogo pode ser ainda mais severo em 2021.

*Foto em destaque por Vinícius Mendonça/Ibama

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação e montanhismo. Escreve para ((o))eco desde 2012. Autora do livr...

Leia também

Reportagens
14 de abril de 2021

Com orçamento nanico para 2021, ICMBio ameaça fechar brigadas de incêndio

Ofício do ICMBio solicita acréscimo de R$60 milhões no orçamento do órgão, caso contrário, aeronaves e brigadas para combate a incêndios florestais poderão ser suspensas

Notícias
12 de abril de 2021

Organização alerta que fogo no Pantanal pode ser ainda maior este ano

Em documento enviado ao Congresso, grupo apresenta medidas para se evitar incêndios com a mesma proporção dos que ocorreram em 2020

Notícias
16 de novembro de 2020

Quase 50% das queimadas estão em áreas recém-desmatadas, diz INPE

Instituto cruza dados de desmatamento com ocorrência de fogo em nova seção de site, com atualização mensal; dados desmentem Bolsonaro e Mourão

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta