Salada Verde

Grupo que discute fusão do Ibama com ICMBio já se reuniu seis vezes 

Instituído no início de outubro, grupo formado por militares que ocupam cargos de chefias no MMA e autarquias estão se reunindo uma vez por semana 

Daniele Bragança ·
16 de novembro de 2020
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

A discussão sobre a possível fusão do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, o Ibama, e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, o ICMBio, segue a todo vapor. Desde que o Grupo de Trabalho foi instituído, no dia 02 de outubro, o colegiado já se reuniu seis vezes. O ministro Ricardo Salles estipulou que o grupo tem 120 dias para concluir os trabalhos de analisar “sinergias e ganhos de eficiência em caso de fusão”. O prazo conta a partir da primeira reunião, realizada no dia 08 de outubro. Pelo ritmo dos encontros, esse prazo será cumprido com folga.

As reuniões têm ocorrido no gabinete da Secretaria Executiva do Ministério do Meio Ambiente. O secretário-executivo Luís Gustavo Biagioni é Tenente-Coronel da Polícia Militar do Estado de São Paulo e coordena o GT. Como adiantou ((o))eco em outubro, o grupo é formado por militares que estão nas chefias das direções do Ibama e ICMBio e MMA. A única exceção é o presidente do Ibama, Eduardo Bim, advogado de formação.

 

Leia Também 

Grupo formado por militares deve decidir futuro do Ibama e ICMBio

 

 

  • Daniele Bragança

    Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Mais de ((o))Eco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

3 responses to “Grupo que discute fusão do Ibama com ICMBio já se reuniu seis vezes 

  1. AvatarStoAntonioJirau diz:

    Será a justa vingança dos bagres do Madeira!


  2. AvatarPasquale diz:

    Que erro de português bisonho no título, "grupo se reuniram".


  3. AvatarAbsalão diz:

    Foi promessa de campanha, tem que cumprir!