Salada Verde

Bolsonaro conversou com Moro sobre destruição de maquinário feito pelo Ibama

Presidente mostrou conversa que Moro entregou à reportagem do JN para a imprensa e deixou aparecer mensagem sobre operação do Ibama em conjunto com a Força Nacional

Daniele Bragança ·
5 de maio de 2020 · 1 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Imagem: Reprodução.

Empenhado em apresentar provas de que o ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, mentiu ao acusá-lo de tentar interferir na Polícia Federal, o presidente Jair Bolsonaro deixou aparecer, quando mostrava trechos da conversa aos jornalistas no Palácio do Planalto, mensagem sobre destruição de maquinário feito pelo Ibama.

No trecho, Moro informa que a Força Nacional, que estava na operação com o Ibama, não participou da queima de nenhum maquinário, prática prevista no decreto que regulamenta a Lei de Crimes Ambientais, mas que Bolsonaro se opõe.

“Coronel Aginaldo da FN [Diretor da Força Nacional, marido da deputada Carla Zambelli] também nega envolvimento da Fn nas destruições. Fn só acompanha Ibama nas operações para segurança dos agentes, mas não participa da destruição de máquinas”, escreveu Moro.

A outra mensagem sobre a Polícia Federal é do dia 22 de abril. Não se sabe a data da troca de mensagem de Moro com Bolsonaro sobre a destruição do maquinário, mas provavelmente foi feita no mesmo dia. Desde a veiculação da operação no Fantástico (TV Globo), no dia 12 de abril, o governo exonerou toda a chefia da fiscalização ambiental do Ibama.

O diretor de Proteção Ambiental do Instituto Brasileiro de Recursos Renováveis (Ibama), Olivaldi Azevedo, foi exonerado no dia 14 de abril. No dia 30, o governo exonerou  o coordenador de operações de fiscalização do Ibama, Hugo Loss, um dos entrevistados na reportagem do Fantástico; e o coordenador-geral de fiscalização ambiental, Renê Luiz de Oliveira.

A queima de maquinário usado em crime ambiental é prática prevista no decreto 6.514, de 2008, e tem como objetivo tornar o preço do delito ambiental oneroso para o infrator.

Desde o ano passado, Bolsonaro desautoriza, publicamente, a queima de maquinário. Em novembro, chegou a prometer para garimpeiros que iria rever a norma. Como o decreto não mudou, os fiscais do Ibama, servidores públicos, ignoram as recomendações.

 

Leia Também 

Após queda de diretor, governo exonera chefes da fiscalização do Ibama

Bolsonaro promete a garimpeiros que vai rever norma sobre queima de máquinas

Bolsonaro desautoriza operação do Ibama em UC desmatada

 

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Notícias
14 de abril de 2019

Bolsonaro desautoriza operação do Ibama em UC desmatada

Presidente critica queimas de caminhões e tratores usados para desmatar ilegalmente a área protegida. Procedimento é regulamentado por decreto

Notícias
5 de novembro de 2019

Bolsonaro promete a garimpeiros que vai rever norma sobre queima de máquinas

Presidente também afirmou que pretende retirar da Agência Nacional de Mineração a atribuição de emitir autorização lavra de garimpos

Notícias
30 de abril de 2020

Após queda de diretor, governo exonera chefes da fiscalização do Ibama

Limpa na fiscalização estava prevista desde a queda do diretor de Proteção Ambiental do órgão. Operação na Amazônia desagradou governo

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 3

  1. Paulo diz:

    Mais uma atitude criminosa contra o patrimônio Brasileiro. São inimigos, isto mesmo inimigos da Pátria.


  2. Willian diz:

    Oque causa mais indignação e ver justamente os governantes e ministros MA que deveriam fazer cumprir a lei agindo contra. Ainda esperamos que a Justiça e os poderes tomem providências!


  3. Marcelino diz:

    Infelizmente o meio ambiente deixou de ser pauta governamental a um bom tempo e o desprezo só tem aumentado.