Salada Verde

Ambientalistas entram na Justiça contra o desmonte da pesquisa ambiental no Estado de São Paulo

Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental ingressou com uma ação contra o decreto assinado por João Doria que modificou o sistema estadual de florestas

Daniele Bragança ·
24 de maio de 2021
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

O Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental (Proam) ingressou na justiça com uma Ação Civil Pública (ACP) contra o Estado de São Paulo para restabelecer as estruturas da pesquisa científica no estado, que se encontram no limbo após a extinção dos Institutos Florestal, Geológico e de Botânica. Na ação, foi anexada uma moção assinada por 370 pesquisadores científicos e organizações ambientais de todo o país.

A ação quer a restauração de todas as estruturas que alicerçam as pesquisas científicas ambientais do Instituto Florestal e pede a suspensão imediata dos efeitos do Decreto n. 65.274, de 26/10/2020, publicado em 27/10/2020, “até que seja apresentada pela Secretaria de Infraestrutura do Meio Ambiente a motivação circunstanciada, acompanhada de elementos técnicos de modo a justificar a alteração do Sistema Estadual de Florestas (SIEFLOR)”

Para a Proam, o decreto causou o desmonte de estruturas necessárias para a realização das atividades dos três Institutos de Pesquisa – Florestal, de Botânica e Geológico (Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente – SIMA), “pois definiu novos direitos e competências, antes mesmo da criação da unidade administrativa prevista em lei, além de provocar a perda da identidade que caracteriza as respectivas áreas de atuação”. 

“Essas instituições, responsáveis pela geração de conhecimento em matéria ambiental, especialmente no que se refere à conservação de áreas protegidas, possuíam áreas de pesquisa bem estruturadas e eram economicamente autossuficientes”, afirma Carlos Bocuhy, presidente do Proam. 

Para Vilazio Lellis Jr, coordenador do Coletivo de Entidades Ambientalista de São Paulo, o que o governo de São Paulo fez não se justifica economicamente. “Estão sendo sacrificadas entidades centenárias e o que se propõe em seu lugar representa um processo de falência para a pesquisa ambiental”, afirma.

Saiba Mais

Ação Civil Pública – PROAM

Moção em defesa da pesquisa científica ambiental do Estado de São Paulo

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Reportagens
24 de fevereiro de 2021

Por R$111 milhões, consórcio ganha concessão de Jardim Botânico e Zoo de SP

Abertura dos envelopes foi realizada nesta terça-feira e revelou a proposta vencedora, feita pelo Consórcio Reserva Paulista, com valor 132% acima da oferta mínima. Concessão terá duração de 30 anos

Colunas
29 de abril de 2021

A inaceitável extinção de institutos de pesquisa ambiental em SP

O governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (Sima), está sacrificando três centenárias e respeitáveis instituições: o Instituto Florestal, extinto pela Lei 17.293/2020, e os institutos Geológico e de Botânica

Reportagens
12 de agosto de 2020

Fundação Florestal representa apenas 0,5% do déficit previsto pelo governo de SP

Secretário declarou a extinção da Fundação Florestal para cortar gastos diante de déficit estimado em 10,4 bilhões para estado de São Paulo em 2020

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta