“Acho que nunca Ibama e ICMBio estiveram tão bem”, diz Bim em entrevista

quinta-feira, 22 outubro 2020 18:32

Mesmo em meio ao anúncio da retirada dos brigadistas do Ibama do combate devido à falta de recursos do órgão ambiental, o presidente do Ibama, Eduardo Bim negou crise e falou em entrevista que tem orgulho de estar a frente do órgão. Ainda que o cenário, como ele próprio expõe, seja de falta de repasses e de uma dívida de 19 milhões de reais. “Acho que nunca o Ibama e o ICMBio estiveram tão bem em termos de coordenação de políticas públicas”, comemora durante a entrevista feita na Globonews nesta quinta (22).

Bim foi sabatinado pelos jornalistas e se esquivou como bom advogado (essa é a formação dele) de questões como o loteamento político de cargos de chefia no Ibama, a falta de recursos, o desmonte do sistema de multas e atitudes em discordância com pareceres técnicos emitidos pelo próprio Ibama. Sobre a possível fusão do ICMBio com o Ibama, desconversou e comentou que na época que foram separados em duas autarquias distintas também houve muita crítica.

Sobre a indicação de pessoas de fora da área ambiental para cargos de chefia no Ibama, Bim justificou que a origem da pessoa não é motivo para desqualificar o trabalho da pessoa. “O fato da pessoa não ter trabalhado antes e ser de dentro da casa não é um fato depreciativo para sua capacidade de gestão. A gente sabe que tem ‘n’ problemas de gestão, não só no Ibama, como qualquer órgão público”, disse o presidente. (Duda Menegassi)

 

Leia também

Grupo formado por militares deve decidir futuro do Ibama e ICMBio

7 comentários em ““Acho que nunca Ibama e ICMBio estiveram tão bem”, diz Bim em entrevista”

  1. Um monte de jornalistas palpiteiros multi-assuntos nessa GNews, que não sabem nada de gestão pública ambiental além do que sai nas MANCHETES e nos memes (afinal, meio ambiente é a modinha do momento!), deu no que deu…entrevista porca! Perderam a chance de informar a audiência, só queriam "lacrar". Inclusive o tal Trigueiro, que se destaca nessa agenda só porque "Em terra de cego, quem tem 1 olho é rei!"… ele achou um "nicho" e vive disso, nem precisa se qualificar muito, qualquer repetição de clichê, franzindo a testa, já passa um ar de grande entendedor do assunto. Aliás, ele se enrolou todo na primeira pergunta, podem checar.

    Responder
    • Ahaha.e voce realmente é um profundo entendedor do tema,na verdade, o jornalismo é isto mesmo, questionar, questionar e questionar, algo pelo qual o presidente que vc elegeu não morre de amores preferindo as abordagens meia pataca da Record e SBT. Vc não tem a minima ideia do que está acontecendo no seu proprio umbigo, quanto mais em Brasilia. Uma comédia a sua manifestação..

      Responder
      • Negativo, Biloxi…nice movie, btw! Jornalismo bom tem que informar, informar, informar…esclarecer, esclarecer, esclarecer, e deixar o cidadão formar sua própria opinião (salvo nas Colunas opinativas). Os questionamentos do jornalismo militante e parcial não se importam com a resposta, pode ver que geralmente nem tem réplica, tréplica…"lacrou" na pergunta e pronto! Nesse caso, podiam ter perguntado, fugindo do "ser contra ou a favor", quais os fatos e análises que levaram a decisão de juntar Ibama-ICMBio, com base no histórico desde a separação em 2007, para além da justificativa vaga de "melhor eficiência". Ou então, qual foi o aprendizado administrativo nesse ano de crise quanto aos incêndios florestais para que não ocorram novos entraves burocráticos/financeiros/operacionais no ano que vem. Só pra ficar em 2 exemplos.

        Responder
      • O Biloxi Blues é um exemplo claro de quem não sabe o que é jornalismo. Fora que já parte para o "argumento" de desqualificar outra manifestação sem apresentar nada. É só mandar um "ahahaha" e tá resolvido. Típico dessa geração de justiceiros de internet!

        Responder
  2. ICMBIO criado via Medida Provisória, na calada da noite, sem discussão, sem debate, SEM PLANEJAMENTO ALGUM, para aplacar a raiva que "ALGUÉM" estava dos bagres do Madeira, que estavam "atrapalhando" os negócios das empreiteiras na construção das usinas! Já passou da hora de desfazer esse absurdo!!!

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.