Reportagens

Ibama gastou só 20% do orçamento para fiscalização até julho

Multas caíram pela metade no mesmo período; dados do governo apontam corte de 16,7% no orçamento para 2021

Fakebook.eco ·
9 de agosto de 2020
Ibama gastou apenas 20% do orçamento para fiscalização. Foto: Fernando Augusto/Ibama

O Ibama gastou até 31 de julho apenas 20,6% dos R$ 66 milhões autorizados para ações de fiscalização ambiental no país em 2020. Foram R$ 13,6 milhões. É a execução para o período mais baixa dos últimos anos, conforme gráfico a seguir.

Arte: Fakebook.eco Fontes: Siop, Siga Brasil e Ibama

Esses números refletem a redução da capacidade de fiscalização do instituto no governo Bolsonaro.

Agentes do Ibama aplicaram 3.421 autos de infração de 1º de janeiro a 31 de julho de 2020, uma queda de 52,1% em comparação com o mesmo período do ano anterior, segundo dados obtidos no site do instituto (atualizados até 6/8). Em 2019, já havia ocorrido uma redução de quase 17% das multas ambientais.

Os dados surgem no momento em que o Inpe divulga um novo recorde nos alertas de desmatamento. Entre agosto de 2019 e julho de 2020, a devastação na Amazônia foi de 9.205 quilômetros quadrados, 34% a mais do que no ano anterior – que já havia registrado alta recorde.

Desde maio, todas as ações do Ibama de combate ao desmatamento na Amazônia estão subordinadas ao Ministério da Defesa, que coordena a Operação Verde Brasil. Entre maio e julho a devastação no bioma dobrou.

Além de segurar gastos previstos no orçamento, o Ibama ficou os sete primeiros meses de 2020 sem acessar recursos Fundo Amazônia já aprovados para ações de combate ao desmatamento. Somente em 30 de julho foram sacados R$ 10,2 milhões dos R$ 73 milhões disponíveis. Este contrato foi assinado em março de 2018 e vence em abril de 2021.

Em maio, o Ibama também recebeu R$ 50 milhões recuperados pela Operação Lava Jato, que não estavam previstos inicialmente no orçamento para 2020. Esse valor deve ser destinado para a fiscalização e o controle de incêndios florestais, mas até o momento apenas 27% foram usados.

Para o orçamento de 2021, o governo planeja um corte de recursos para a fiscalização ambiental, apesar do aumento do desmatamento na Amazônia.

Em ofício de 27 de julho, o Ministério do Meio Ambiente prevê R$ 210 milhões para as despesas discricionárias do Ibama em 2021. O valor é cerca de 20% menor que o aprovado na lei orçamentária para 2020.

Em razão desse corte, o orçamento previsto para as ações de fiscalização ambiental foi reduzido em 16,7%, de R$ 76,8 milhões em 2020 para R$ 64 milhões em 2021, segundo ofício do Ibama de 28 de julho.

O valor previsto na lei orçamentaria para 2020 (R$ 76,8 milhões) foi maior que o efetivamente autorizado para a fiscalização (R$ 66,1 milhões), o que deve se repetir em 2021, em razão de contingenciamentos e remanejamentos de verbas, entre outros motivos. Ou seja, além da redução na proposta orçamentária é possível que haja outras reduções ao longo de 2021.

Os cortes determinados pelo governo Bolsonaro contrastam com as receitas geradas pelo Ibama para a União: a previsão de arrecadação do Instituto para 2021 apenas em taxas e serviços é de mais de R$ 350 milhões, valor 60% maior que o orçamento previsto para as despesas discricionárias.

 

Leia também

Desmatamento na Amazônia ultrapassa 10 mil km2 e tem maior índice desde 2008

Bolsonaro justifica falha na fiscalização ambiental por causa do “tamanho da Amazônia”

  • Fakebook.eco

    Fakebook.eco é uma iniciativa do Observatório do Clima, rede de organizações da sociedade civil.

Leia também

Salada Verde
23 de julho de 2020

Bolsonaro justifica falha na fiscalização ambiental por causa do “tamanho da Amazônia”

Segundo o presidente, a floresta é maior que a Europa (não é), indígenas e caboclos são os responsáveis por colocar fogo na mata (não são) e aprovar projeto de regularização vai inibir queimadas (sem comentários)

Notícias
9 de junho de 2020

Desmatamento na Amazônia ultrapassa 10 mil km2 e tem maior índice desde 2008

Dados consolidados do Prodes revelam que Amazônia brasileira perdeu quase duas vezes a área do Distrito Federal entre agosto de 2018 e julho de 2019

Salada Verde
26 de julho de 2021

“A odisséia do budião”: filme destaca a relevância da preservação da espécie para o equilíbrio ecológico dos mares

Mais conhecido como ‘peixe-papagaio’, o budião fornece um importante serviço para o controle dos recifes, mas está em risco de extinção desde 2014

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta