Reportagens

Mais reservas urgente

O ecólogo Philip Fearnside, do INPA, acredita que as promessas de redução de 80% do desmatamento até 2020 são inconsistentes. A melhor estratégia é criar mais unidades de conservação

Andreia Fanzeres ·
23 de setembro de 2009 · 12 anos atrás
Philip Fearnside. Foto: Sudio D.

O ecólogo Philip Fearnside, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), acredita que as promessas de redução de 80% do desmatamento até 2020 são inconsistentes e insistiu que a melhor estratégia para lidar com as ameaças ao bioma é a criação de mais unidades de conservação. Segundo ele, a oportunidade tem que ser aproveitada agora, ainda mais no oeste do Amazonas, onde já existem planos de construção de estradas secundárias a partir do asfaltamento da BR-319, ameaçando diretamente o que resta de mais bem conservado da Amazônia.

Escute abaixo a entrevista:

Leia cobertura completa do CBUC 2009 em http://www.oeco.com.br/cbuc-2009 ou no Twitter

  • Andreia Fanzeres

    Jornalista de ((o))eco de 2005 a 2011. Coordena o Programa de Direitos Indígenas, Política Indigenista e Informação à Sociedade da OPAN.

Leia também

Salada Verde
17 de junho de 2021

Em carta, SBPC se manifesta contra aprovação da nova Lei Geral do Licenciamento

Para a entidade, a versão do PL 3729/2004, aprovado na Câmara, é incompatível com a Constituição Federal e fere princípios da gestão ambiental nacional

Salada Verde
17 de junho de 2021

Em apenas um mês, desmatamento na Amazônia aumentou 70%

Com 1.125 km² de floresta desmatada, é a terceira vez consecutiva que a destruição no bioma bate o recorde em uma década, tendo o pior saldo para o mês de maio desde 2010

Reportagens
17 de junho de 2021

Cheia histórica no Amazonas é uma mistura da variabilidade natural com mudanças climáticas

Porto de Manaus registrou nível do Rio Negro de 30,02 metros, a maior altura desde 1902. Com a água invadindo casas à margem dos igarapés, população local fica em situação de extrema vulnerabilidade

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta