Vídeo: Qual o desafio de aproximar as crianças da natureza? Por Maria Isabel Amando de Barros

Marcio Isensee e Sá (Texto, Vídeo e Edição)
terça-feira, 28 agosto 2018 20:07
Pé na terra finca raízes. Foto: Acervo Criança e Natureza/Instituto Alana.

Em um domingo qualquer, em uma cidade qualquer, é comum passar por praças e parques públicos vazios e entrar em shoppings centers lotados. Hoje temos 85% da população do país vivendo em áreas urbanas. Nesse contexto, as crianças do século XXI estão cada vez mais distantes e com menos possibilidades de contato com a natureza, brincar ao ar livre e se sensibilizar com as belezas que esse contato proporciona.

Para superar esse desafio, o projeto Criança e Natureza do Instituto Alana desenvolve diferentes ações para reaproximar a infância ao mundo natural. Os espaços públicos e unidades de conservação local são grandes ferramentas para que isso aconteça. O programa desenvolve seminários e encontros, lançou um Aplicativo e incentiva a criação de grupos de famílias para passar o tempo com as crianças ao ar livre.

Maria Isabel Amado de Barros, do Instituto Alana, afirma que “uma das premissas é que a gente precisa agir, tomar ação. Essa mudança não vai acontecer se nós adultos não ajudarmos as crianças a brincar na natureza e se reconectar com a natureza nas cidades”.

 

Assista:

 

 

Leia Também

Educação ambiental para as crianças de hoje

Educação ambiental para as crianças de hoje – 2ª Parte

Crianças no tráfico de borboletas

 

 

1 comentário em “Vídeo: Qual o desafio de aproximar as crianças da natureza? Por Maria Isabel Amando de Barros”

  1. Excelente iniciativa! Sou diretor de um colégio na Praia Grande (SP) e estamos nesse processo de criar iniciativas de reaproximação das crianças e adolescentes aos ambientes naturais abundantes (em comparação com outras localidades) do nosso entorno através da pesquisa científica. Assitir o vídeo e ler o texto reafirma esse nosso compromisso e o entendimento da necessidade urgente de projetos com esse enfoque. Obrigado.

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.