Notícias

São Paulo inicia processo de tombamento de remanescente de Mata Atlântica

Terreno conhecido como Jardim Alfomares é objeto de disputa judicial desde 2004, quando tentativa de construir um condomínio na área foi barrada pela sociedade

Duda Menegassi ·
8 de dezembro de 2020
Área conhecida como Jardim Alfomares, em São Paulo, um remanescente de Mata Atlântica na capital paulista. Foto: Gabriel Lehto/SOS Jardim Alfomares

Nesta segunda-feira (07), o Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp) decidiu, por unanimidade, iniciar o processo de tombamento do Jardim Alfomares, uma área de Mata Atlântica remanescente em plena capital paulista. O terreno, localizado no bairro Alto da Boa Vista, zona sul de São Paulo, estava na mira para construção de um condomínio. São 6,3 hectares, e cerca de 2 mil árvores, entre elas, espécies como o palmito-juçara e o catiguá-arco-de-peneira.

O Jardim Alfomares era alvo de uma disputa judicial há quase duas décadas. Em 2004, a Prefeitura de São Paulo aprovou que ali fosse construído um condomínio de luxo da empresa Viver Incorporadora. O empreendimento foi barrado por uma ação civil pública, em tramitação no Superior Tribunal de Justiça (STJ), e, desde então, não havia certeza qual seria o destino deste raro remanescente da Mata Atlântica na capital paulista.

O pedido para abertura do processo de tombamento estava arquivado desde 2003, aguardando votação no Conselho. Com a decisão preliminar do Conpresp, que teve uma abstenção e os demais votos favoráveis, o Jardim Alfomares fica provisoriamente tombado enquanto estudos mais aprofundados são realizados no local. O status, ainda que provisório, impede que qualquer intervenção seja feita no terreno sem a anuência do órgão. Os novos estudos, uma vez concluídos, servirão de base para a deliberação final do Conselho sobre o destino da floresta.

Além do valor ecológico da área, que abriga diversas espécies de fauna e flora, inclusive ameaçadas, durante a reunião foi apontado também o valor cultural comunitário do Jardim para identidade e memória dos moradores do bairro. Um abaixo-assinado feito em favor do tombamento do Jardim Alfomares está aberto online e já conta com mais de 69 mil assinaturas até a tarde desta terça-feira (08).

De acordo com informações do movimento SOS Jardim Alfomares, criado pela Associação dos Amigos do Alto da Boa Vista, no local já foram contabilizadas 62 espécies de animais, a maioria aves, sendo 5 endêmicas da Mata Atlântica. Em nota, o movimento comemorou a aprovação no Conpresp, que representa “uma vitória coletiva e o entendimento dos Srs. Conselheiros sobre questões histórico-culturais na preservação ambiental desta área”.

 

Leia também

Mudanças legislativas podem esvaziar restauração ambiental em São Paulo

Redução de áreas verdes em São Paulo favorece mosquitos vetores

Bicudinho-do-brejo-paulista, o ilustre e discreto morador da Região Metropolitana de São Paulo

  • Duda Menegassi

    Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação e montanhismo. Escreve para ((o))eco desde 2012. Autora do livr...

Leia também

Análises
4 de outubro de 2020

Bicudinho-do-brejo-paulista, o ilustre e discreto morador da Região Metropolitana de São Paulo

Seus hábitos tímidos, aliados ao seu habitat específico, são possivelmente responsáveis por um dos fatos mais surpreendentes relacionados a esta espécie: foi descoberta somente em 2004

Notícias
18 de janeiro de 2018

Redução de áreas verdes em São Paulo favorece mosquitos vetores

Mais adaptados às áreas urbanas, mosquitos como Aedes aegypti são beneficiados pelo declínio de outras espécies. Quanto menos áreas verdes, menos diversidade de habitats

Reportagens
8 de novembro de 2020

Mudanças legislativas podem esvaziar restauração ambiental em São Paulo

O estado acumula um déficit de mais de 1 milhão de hectares para serem restaurados, mas atos normativos recentes podem enfraquecer a recomposição florestal, alertam pesquisadores

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta