Procuradores pedem à Justiça que Ricardo Salles deixe de ser ministro

Procuradores pedem à Justiça que Ricardo Salles deixe de ser ministro

Daniele Bragança
segunda-feira, 28 janeiro 2019 19:55
Os promotores paulistas, Leandro Henrique Leme e Silvio Marques afirmam que foram cometidas diversas irregularidades na condução do processo de alteração do plano de manejo da APA do Rio Tietê. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.

O Ministério Público do Estado de São Paulo apelou ao Tribunal de Justiça para que o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, seja destituído do cargo. Salles foi condenado em primeira instância por alterar mapas do plano de manejo da APA do Rio Tietê, quando era secretário de Meio Ambiente de São Paulo.

Na apelação, protocolada no dia 24 de janeiro, os promotores Leandro Henrique Leme e Silvio Marques, do Ministério Público paulista, afirmam que foram cometidas diversas irregularidades na condução do processo de alteração do plano de manejo da APA do Rio Tietê. “Os citados agentes públicos agiram à sorrelfa e com a clara intenção de beneficiar setores econômicos, notadamente a mineração, dentre outros. Foram incluídas “demandas” da FIESP que já haviam sido rejeitadas no momento oportuno”.

“RICARDO DE AQUINO SALLES ocupava a posição mais relevante no Sistema Ambiental Paulista e, mesmo assim, pessoalmente determinou a realização de alterações fraudulentas no Plano de Manejo da APAVRT, todas elas desfavoráveis ao meio ambiente. Portanto, imperiosa a cominação ao apelado RICARDO DE AQUINO SALLES também da sanção de perda da função pública, nos termos do artigo 12, III, da Lei n. 8.429/92, reformando-se a r. sentença proferida para tal finalidade”, escreveram os promotores.

Em dezembro, o ministro foi condenado por improbidade administrativa. A sentença foi dada pelo juiz Fausto José Martins Seabra, da 3ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo.

AcusaçãoEm maio de 2017, o Ministério Público denunciou Ricardo Salles. Segundo o MP, Salles favoreceu empresas de mineração e filiadas à Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) ao alterar mapas de zoneamento do plano de manejo da Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Tietê (APAVRT) quando era secretário de Meio Ambiente de São Paulo.

Em fevereiro de 2017, os procuradores fizeram uma coletiva para anunciar os resultados das investigações e da denúncia. Salles virou réu logo depois e pediu demissão da Secretaria de Meio ambiente de São Paulo no começo de agosto.

Veja o vídeo da coletiva:

 

Réu e condenado ‒ O juiz concordou com o processo e condenou Ricardo Salles à suspensão dos direitos políticos por três anos e o pagamento de multa no valor de 200 mil reais. Além disso, Ricardo Salles está proibido de ser contratado pelo Poder Público.

O ministro apelou em segunda instância e conseguiu tomar posse como ministro no dia 01 de janeiro.

 

Leia Também

Ricardo Salles foi condenado por fraude em plano de manejo

Fundador do Endireita Brasil, Ricardo Salles é o novo ministro do Meio Ambiente

Vale repete Mariana e rejeitos poderão chegar ao rio São Francisco

 

17 comentários em “Procuradores pedem à Justiça que Ricardo Salles deixe de ser ministro”

  1. O grande drama é a absoluta descrença no poder judiciário e sua militância. Desgraçadamente o cidadão comum, também desconfiado da isenção da imprensa, fica rendido e pela lógica, porque Bolsonaro e seu staff nomeariam um ministro para ser seu flanco exposto na luta pelo desaparelhamento do estado. Não faz nenhum sentido.
    Este processo é público ou corre em segredo de justiça?
    Onde está consubstanciado "alterações fraudulentas no Plano de Manejo da APAVRT" ?
    Quais são as fraudes?
    Quais são os participes?
    Somenteo ministro deve ser retirado do cargo ou caberá alguma ação contra os corruptores?
    Complicado este padrão de noticias que só serve mesmo para assassinar reputações sem rovas evidentes…

  2. Menos, menos…
    – Você teve acesso? Conhece alguém que teve acesso? Algum veículo de comunicação discriminou este documento público?
    – E uma dica: Quando coloca "por um governo que tem a missão de acabar com o meio ambiente. Isso já foi dito várias vezes pelo próprio presidente," ou está mentindo sem medo de ser feliz ou precisa de ajuda… (muita calma nesta hora 😉

  3. Desde primeiro de janeiro "O ECO" tem se dedicado com denodo a tentar triturar o ministro Ricardo Salles. Exatamente como a rede Globo.

    Não há uma só edição onde não constem entre um e três artigos contra o homem. E dá-lhe Observatório do Clima, ISA, etc. etc.

    Deixem o cara trabalhar. Passaram-se menos de 25 dias úteis. Julguem-no com base, não com pré-conceitos!

    • O trágico é que trabalham com empenho em confirmar o aparelhamento da imprensa e falta de isenção.
      Por exemplo ainda não vi nenhuma materia em como o governo PT derrubou o Agneli e na prática reestatizou a vale, tendo como massa de manobra o BNDES, Fundos de Pensão e grandes bancos como o Bradesco, assim como não destaca a corrupção do govenro estadual do PT e o impedimento do aprimoramento da legislação minerária…

      • Sequer o assunto meio ambiente e agronegócio está em discussão aqui. O que estamos discutindo é a sua visão torta de passada, que nega a contrariedade que a mudança no Código florestal provocou, ou o Veta Dilma não existiu?, ou os dossiês da ABC da SBPC foram ilusões da matéria (http://www.sbpcnet.org.br/site/publicacoes/outras-publicacoes/CodigoFlorestal__2aed.pdf)? sem contar os inúmeros editoriais e colunas contra o Código Florestal, publicados nesse e em outros veículos, contra retrocessos que você nega. Para você, a imprensa só fala mal da gestão ambiental no governo Bolsonaro. Ninguém falou mal quando tentaram abrir a Renca ou recortar unidades de conservação para fazer hidrelétricas da Amazônia. Sim, vc tem toda razão. A busca no google está errada.

    • Mas, também, o sujeito é um imbecil, que fala um monte de atrocidade, que contraria o que a ciência descortina, além disso é condenado por fraudar um processo prejudicando a preservação. O que vc queria ver publicado aqui?Loas? Tenha dó! Parabéns OEco!

  4. Gordinho, não são os ruralistas que mandam, mas a galera comprada pelo PT – politicos e empresarios que investiram no agronegócio e se locupletaram com esquemas via BNDS. O ruralista se compõe desde pqnos produtores a grandes produtores, mas quem interferiu com grandes esquemas de corrupção, foi a base aliada e principalmente a JBS, causadora de dezenas de falencias no interior do Brasil.
    Agora o minion aqui , junto com os outros, é que foram os responsáveis por ocupar as redes sociais e turbinar a eleição de Bolsonaro. Então meu amigo, quando destila sua mortadelice, está só atuando contra o governo que conseguiu pelo menos por hora, frear a venezuelização do Brasil, enquanto academia, ongs e extrema imprensa se moviam em apoio à Dilam e depois Haddad.
    Muuuuita calma antes de se rasgar e virar do avesso hehehehe

  5. Que bom que se deu por satisfeito meu amigo. Senti que você precisava despejar todo seu ódio, preconceito e agressividade em público. Depois de diversas agressões gratuitas e ofensas na falta de argumentos espero que esteja mais tranquilo. Vou orar por você! Fique na paz hehehehe

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.