Informações sobre Ibama e ICMBio só com o Ministério do Meio Ambiente

Daniele Bragança
quarta-feira, 13 março 2019 22:18
Ricardo Salles impõe lei da mordaça nos órgãos subordinados ao MMA. Foto: Ernie Stephens/Pixabay.

O jornalista que quiser fazer uma matéria sobre o Ibama ou ICMBio terá sua demanda encaminhada para o Ministério do Meio Ambiente, que deverá aprovar a solicitação. A mudança feita pelo ministro Ricardo Salles impõe uma lei da mordaça nas autarquias vinculadas ao Ministério. A centralização coincide com mudanças na comunicação dos órgãos. Nesta quarta-feira (13), saiu a exoneração do chefe de Assessoria de Comunicação (Ascom) do Ibama. Há duas semanas a chefe da Ascom do ICMBio também foi exonerada, a pedido.

A orientação é que tudo, até os releases e as matérias publicadas nos sites dos órgãos, passem pela avaliação da comunicação do Ministério do Meio Ambiente, comandada pelo capitão da reserva Pallemberg Pinto de Aquino. Aquino foi nomeado no dia 12 de fevereiro.

Em matéria publicado na tarde desta quarta-feira (13) pelo Estadão que trata da mordaça, afirma que após a reportagem entrar em contato, o Ibama enviou a seguinte mensagem: “Por orientação do Ministério do Meio Ambiente (MMA), demandas de imprensa relacionadas à atuação do Ibama devem ser direcionadas à Assessoria de Comunicação do MMA”.

A reportagem de ((o))eco apurou que todas as demandas precisam ser encaminhadas e respondidas com cópia para o MMA. A conta oficial do ICMBio no Twitter tem 13.923 seguidores não é atualizada desde o dia 15 de fevereiro. A ordem é deixar a conta morrer.

O rádio corredor dos órgãos ambientais teoriza sobre uma possível fusão do Ibama e ICMBio para mudanças na comunicação interna. Por enquanto, se trata apenas dos velhos boatos de corredor.

 

Leia Também 

Transparência já: Lei de Acesso à Informação entrou em vigor

Agromitômetro: checamos as declarações de Ricardo Salles

Após declarações de Ricardo Salles, INPE divulga as diferenças entre os sistemas de monitoramento

 

4 comentários em “Informações sobre Ibama e ICMBio só com o Ministério do Meio Ambiente”

  1. Perfeito a colocação do Ministério. Assim evita o célebre furo de reportagem que nada é alguém de dentro que dá a notícia de acordo com seu ponto de vista. Gladys

    Responder
    • E evita informações desencontradas, opiniões diferentes, dentro de um mesmo tema.

      Com o presidente Bolsonaro, a crítica é que ele, os filhos e os generais que estão por perto, cada um fala uma coisa diferente. E a imprensa "recomenda" que se tenha uma só voz, um porta-voz.

      Agora, com o ministro do meio Ambiente, isso não pode…

      Haja!

      Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.