Notícias

ICMBio firma termos de compromisso com pescadores para captura de sardinha

Com o termo, os primeiros publicados, pescadores ficam autorizados a pegar sardinha dentro dos limites do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha

Duda Menegassi ·
21 de janeiro de 2021
Praia do Leão, um dos pontos do parque onde a captura de sardinha será permitida. Foto: Duda Menegassi

Dando sequência à liberação da captura de sardinha para uso como isca-viva dentro do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha, anunciada no início de novembro do ano passado, o ICMBio firmou Termo de Compromisso com três pescadores da ilha. O termo os autoriza a fazer a pesca dentro dos limites da unidade de conservação, que em tese proibiria a atividade. A permissão foi assinada pelo chefe do Núcleo de Gestão Integrada do ICMBio em Noronha, o arquiteto João Luiz do Nascimento. A justificativa para o termo é a conciliação transitória dos objetivos de conservação do parque com os modos de vida tradicionais e a necessidade de subsistência dos pescadores artesanais de sardinha. Estes são os primeiros termos de compromisso – divulgados oficialmente – que firmam acordo entre pescadores e ICMBio para liberação da atividade.

Os extratos dos termos de compromisso foram publicados no Diário Oficial da União apenas nesta quarta-feira (20), o que confere a validade para autorização, mas estavam assinados desde o dia 8 de dezembro de 2020. A vigência da permissão está estabelecida para o período entre os dias 1 de novembro e 30 de abril, com validade até 2022.

Termo de Compromisso nº1 firmado entre ICMBio e pescador em Noronha. Reprodução Diário Oficial da União

Os três pescadores cujos foram listados anteriormente pelo ICMBio nas categorias de pesca para alimentação e consumo próprio, e profissional e venda.

De acordo com o Termo de Compromisso, os pescadores ficam autorizados a capturar apenas a sardinha (Harengula clupeola) e poderão utilizar a tarrafa (rede de pesca), com mínimo de 20 mm entrenós, que seja lançada tanto de pedras, na costa, quanto de embarcações – desde as pequenas com apenas um tripulante, até maiores de 9 por 4 metros de comprimento e três ou mais tripulantes. Foram estabelecidos dois pontos dentro do parque para a captura de sardinha, a praia da Caieiras e a praia do Leão. Os pescadores devem observar ainda o horário limite para atividade, do amanhecer até as 7h da manhã.

Ambientalistas alertam que a medida pode abrir um precedente perigoso para a exploração de recursos em unidades de conservação de proteção integral e apontam a fragilidade da fiscalização para garantir o cumprimento correto das normas estabelecidas pelo Termo de Compromisso. Em novembro, pouco depois do anúncio do Secretário de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Jr. sobre a liberação da atividade dentro do parque nacional, parlamentares do Partido Verde protocolaram um pedido para que o Ministério Público Federal investigue a liberação.

 

Leia também

Partido Verde quer que MP investigue liberação de pesca em Fernando de Noronha

Lista de “pescadores tradicionais” de Noronha para sardinha inclui empresários

ICMBio não esclarece critérios de quem poderá capturar sardinha em Noronha

  • Duda Menegassi

    Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação e montanhismo. Escreve para ((o))eco desde 2012. Autora do livr...

Leia também

Reportagens
5 de novembro de 2020

ICMBio não esclarece critérios de quem poderá capturar sardinha em Noronha

A lista de eventuais signatários inclui donos de pousadas, sócios de empresas, servidores públicos, funcionários assalariados e condutores de visitantes

Reportagens
3 de novembro de 2020

Lista de “pescadores tradicionais” de Noronha para sardinha inclui empresários

Feita às pressas e sem transparência, decisão de autorizar pescadores de Fernando de Noronha a pescarem dentro do parque contraria ambientalistas e pode beneficiar empresários

Salada Verde
8 de novembro de 2020

Partido Verde quer que MP investigue liberação de pesca em Fernando de Noronha

Bancada protocolou pedido para que o termo de compromisso assinado no feriado prolongado seja analisado. Parlamentares consideram que medida coloca em risco o equilíbrio ecológico da região

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. jtrudajtruda diz:

    Passaram tanto tempo beijando o traseiro de qualquer um que se dissesse "comunidade tradicional" e permitindo caça e pesca predatórias "de pequena escala" que acabou nisso. Aliás esse tipo de estupro das UCs de Proteção Integral não é de hoje, o sociocoisimo que impera no ICMBio é o principal culpado desse absurdo e que se repete em vários outros Parques Nacionais… .