Ibama apreende madeira nativa da Amazônia em pátio da Vale

Sabrina Rodrigues*
segunda-feira, 7 maio 2018 20:02
Pátio da Vale com 14.233 dormentes de madeira nativa em depósito. Foto: Ibama/Divulgação.

 

Uma vistoria realizada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) levou à apreensão de 14.233 dormentes de madeiras nativas da Amazônia que seriam utilizados para a construção de trilhos para ferrovia da empresa Vale. A inspeção foi feita no dia 20 de abril, no pátio da Estrada de Ferro Carajás, em Açailândia (MA).

Dormentes são peças colocadas transversalmente à via férrea e sobre os quais passam os carris ou trilhos. Durante vistoria, os analistas do órgão ambiental suspeitaram que as travessas de madeira estocadas no local não estavam em conformidade com as informações das notas fiscais. O lote de madeira, negociado como eucalipto, continha espécies nativas da Amazônia, como “Roxinho” (Peltogynes sp), “Jatobá” (Hymenaea sp) e “Cedrinho” (Erisma sp).

Os agentes ambientais aplicaram auto de infração no valor de um pouco mais de R$ 4,2 milhões contra a Vale por manter em depósito a madeira nativa sem licença válida.

Em nota, a mineradora informou que somente adquire produto florestal processado e que já acionou a fornecedora dos dormentes para que preste os esclarecimentos e apresente toda documentação necessária para atendimento a notificação do órgão ambiental.

O Ibama investiga os fornecedores e o local de extração da madeira nativa identificada durante as ações de fiscalização. Os resultados serão encaminhados ao Ministério Público do Estado para a apuração de responsabilidade na área criminal.

*Com informações do Ibama

 

Leia Também

Megaoperação combate extração de madeira ilegal em áreas protegidas do Maranhão

Cai exploração ilegal de madeira no Pará

Balanço de combate ao uso de madeira ilegal é lançado em São Paulo

 

3 comentários em “Ibama apreende madeira nativa da Amazônia em pátio da Vale”

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.