Notícias

Governo recua e nomeia um especialista para a presidência do ICMBio

O engenheiro florestal Paulo Carneiro é o novo presidente da autarquia. Mobilização dos servidores freou movimentação de políticos para lotear o órgão ambiental

Daniele Bragança ·
15 de junho de 2018 · 3 anos atrás
Servidores protestam no Corcovado. Foto: Divulgação.

Desde a saída do oceanógrafo Ricardo Soavinski da presidência do ICMBio, no final de abril, o Ministério do Meio Ambiente queria o diretor de Criação e Manejo de Unidades de Conservação da autarquia, Paulo Henrique Marostegan e Carneiro, para assumir o cargo. Mas o governo tinha outros planos. A tentativa de transformar o comando da autarquia que cuida das Unidades de Conservação federais em mais um cargo à disposição da bancada aliada causou mais protestos do que o esperado. O governo recuou. Após dois meses de mobilização, saiu na edição desta sexta-feira (15) do Diário Oficial da União a nomeação de Carneiro para o cargo.

Paulo Henrique Marostegan e Carneiro é engenheiro florestal e servidor de carreira do Instituto do Chico Mendes, onde está desde a criação da autarquia. Antes, trabalhou no Ibama. No ICMBio, exerceu cargo de chefia na Coordenação Geral de Proteção Ambiental e na Diretoria de Criação e Manejo de Unidades de Conservação. Também foi gestor do Parque Nacional de Brasília.

Por enquanto, sem políticos no comando

Com quase 11 anos de criação, o Instituto segue sem nunca ter tido um político sem ligação com a área socioambiental comandando o ICMBio. O órgão é responsável pela gestão de 9% do território nacional e 24% da área marinha.

Não foi por falta de tentativa. O governo Temer tentou duas vezes nomear dois políticos do PROS para a presidência do Instituto. O primeiro sondado para assumir foi o vice-presidente do PROS Nacional, Moacir Bicalho. Os servidores protestaram e o partido tentou a nomeação de Cairo Tavares, secretário nacional de formação política do PROS.

Cairo chegou a se apresentar informalmente como novo presidente, em reunião com os diretores do ICMBio realizada no dia 24 de maio. A nomeação estava certa para sair no dia seguinte, mas a paralisação dos caminhoneiros fez o governo adiar a nomeação. A mobilização dos servidores, ambientalistas e sociedade civil, com protestos em Unidades de Conservação, no Congresso e nas redes sociais, transformou a disputa interna pelo cargo em movimento em prol da autarquia. Vitória da mobilização.

 

Leia Também

Vice-presidente do PROS é cotado para ser presidente do ICMBio

PROS assumirá ICMBio com nome sem ligação ao meio ambiente

Como a grandiosa missão do ICMBio para o Brasil está por um fio

 

 

  • Daniele Bragança

    Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Análises
12 de junho de 2018

Como a grandiosa missão do ICMBio para o Brasil está por um fio

A luta do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade recebe ânimos contrariados dos que ainda enxergam a conservação como um empecilho ao desenvolvimento

Notícias
24 de maio de 2018

PROS assumirá ICMBio com nome sem ligação ao meio ambiente

Cairo Tavares esteve na sede da autarquia, nesta quinta-feira, e deve ter sua nomeação publicada na edição desta sexta do Diário Oficial da União

Salada Verde
11 de maio de 2018

Vice-presidente do PROS é cotado para ser presidente do ICMBio

Se a indicação for confirmada, será a primeira vez que a autarquia será gerida por um político sem ligação com a área ambiental desde a sua criação, em 2007

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 13

  1. Avatarleitor diz:

    Que bom, mais uma batalha vencida, das zilhões que precisam ser vencidas. Mas, um passo é um passo. Parabéns pela resistência a mobilização.


  2. AvatarCespe diz:

    Perguntem pro novo Presidente especialista se ele sabe onde fica a UC Rebio Serra do Cachimbo?


    1. AvatarOreiAA diz:

      Sabe muito bem, e agora, se ninguém percebeu, tem muita grana pra usar como quiser. Quero ver resultados ao invés de mais contratos.


      1. AvatarAndrei diz:

        OreiA, acho que era uma ironia porcausa do local da vaga de concurso que ele foi aprovado e não foi trabalhar lá. Ficou em Brasília mesmo


  3. AvatarChiquito Mendes diz:

    Só esperando a hora dele aparecer em uma fotinho ao lado do Temer.. enfim,com foto ou sem foto, é um cargo de confiança (DAS 6) do Temer, e pra arrematar a nomeacao foi assinada pelo honorável Eliseu Padilha…Vai ser bonito ver isso sendo colocado (ainda que a força, pode deixar que a gente lembra..) no curriculo do "especialista"…Não tem almocinho grátis Não, viu?


  4. AvatarCurioso diz:

    Hoje já tinha gente puxando o saco dele.


    1. AvatarPedro diz:

      Chicominion não perde tempo!


  5. AvatarLuciano W. diz:

    Governo frouxo, igual no caso do Ministério da Cultura.


  6. AvatarHelio diz:

    Ou seja, O presidente do Icmbio continua sendo A presidenta!


    1. AvatarPerseguido diz:

      Mais do mesmo. Se não tirar o chefe de gabinete, a diretora de administração, o diretor da disat e o diretor da dibio (e despacha-los para outro órgão) a gestão continuará pífia e pequena, regida pelas panelinhas e interesses particulares, exatamente como acontece a dez anos.


      1. AvatarZé Pereira diz:

        Mas tem grana, muita grana…
        Vencemos… Huhuhu


  7. Avatarluis santos diz:

    Maravilha, muito bom ver a cidadania exercida e mobilização em nome de nossas Unidades de Conservação.

    Parabéns aos servidores do ICMBIO!


  8. AvatarAnonimamente anonimo diz:

    Grata a todos por esta conquista! Mantenhamos a vigilância