Notícias

Governo federal reconhece situação de emergência no Mato Grosso do Sul

MDR destina R$ 3,8 milhões para auxiliar combate aos incêndios florestais no estado. Chamas já queimaram 1.1 milhões de hectares do Pantanal sul-mato-grossense

André Phellipe ·
15 de setembro de 2020
Queimada no Pantanal. Foto: PREVFOGO/Ibama.

Após o governo do Mato Grosso do Sul declarar situação de emergência em todo o estado por conta das queimadas que vem ocorrendo nos últimos dias, o Ministério do Desenvolvimento Regional acabou por reconhecer a gravidade do cenário em edição extra no Diário Oficial da União (DOU) e repassou R$ 3,8 milhões para ações de combate a incêndios florestais na região. O anúncio foi feito pelo ministro Rogério Marinho. 

O governo já havia repassado R$ 562,8 mil para auxiliar no enfrentamento às chamas. As queimadas já atingiram 1.1 milhões de hectares do Pantanal sul-mato-grossense

A partir de agora, a gestão de Reinaldo Azambuja (PSDB) poderá ter acesso a recursos da União para ações de socorro, assistência, recuperação de infraestruturas públicas danificadas e restabelecimento de serviços essenciais. 

O Pantanal, de acordo com o governador, enfrenta uma das maiores secas nos últimos 47 anos. O Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo), do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), estima que, em 2020, a área chegue a 1,45 milhão de hectares queimados. 

“Com o reconhecimento federal, o decreto flexibiliza e agiliza ações imediatas como a contratação de brigadistas e o aluguel de aeronaves”, comentou o governador Reinaldo Azambuja, que agora terá recursos federais para ampliação de estruturas e de combate aos incêndios em todos os 79 municípios. A definição da verba liberada dependerá de elaboração de planos de trabalho com análises realizadas pela Defesa Civil Nacional. 

O governo estadual afirmou que o socorro dado pela União será destinado para contratação de brigadistas, pagamento de aluguéis de caminhões e aeronaves, alimentação, hospedagem de bombeiros e entre outros. O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, disse que o que ocorre no Pantanal é grave e que é preciso unir forças para conter os desastres ambientais já causados. “Vamos dar uma resposta imediata a esse desastre que atinge um bioma importantíssimo do Brasil, com a transferência de recursos federais para que a situação seja controlada o mais rapidamente possível”, frisou. 

O secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Alexandre Lucas Alves, também constatou que não haverá limite de recursos financeiros para combater os incêndios florestais. “O que precisar vamos liberar (…), a ordem do presidente Jair Bolsonaro e do ministro Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) é para que não falte recursos”, comentou. 

 

Leia Também 

Encontro das chamas ameaça parque com maior concentração de onças-pintadas do mundo

Ibama gastou só 20% do orçamento para fiscalização até julho

Deputados pedem urgência na apreciação de projeto de lei sobre Pantanal

 

 

Leia também

Salada Verde
8 de setembro de 2020

Deputados pedem urgência na apreciação de projeto de lei sobre Pantanal

Para os congressistas, se a proposta não for aprovada com urgência, o resultado pode ser devastador para o bioma. PL tratar da conservação e o uso sustentável do bioma 

Reportagens
8 de setembro de 2020

Encontro das chamas ameaça parque com maior concentração de onças-pintadas do mundo

Mais de 1,6 milhão de hectares já foram consumidos pelo fogo no Pantanal apenas nos últimos dois meses e chamas avançam sobre refúgios da biodiversidade

Reportagens
23 de junho de 2021

Pressão por soja responsável cresce, mas tecnologias disponíveis não emplacam

Maior produtor de soja do planeta, Brasil tem opções para reduzir agrotóxico nas lavouras, mas produtores recuam na adoção de técnicas mais sustentáveis e dados mostram que desmatamento associado ao grão pode estar saindo do controle

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta