Fundador do Endireita Brasil, Ricardo Salles é o novo ministro do Meio Ambiente

Daniele Bragança
domingo, 9 dezembro 2018 15:07
Presidente eleito finalmente decidiu quem comandará o novo ministério do Meio Ambiente. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.

Após ameaçar fundir com o ministério da Agricultura, voltar atrás, voltar atrás sobre a volta atrás e, por fim, decidir manter o ministério do Meio Ambiente (MMA) separado, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, anunciou neste domingo (09/12) o nome do advogado Ricardo Salles que comandará a pasta ambiental a partir de janeiro. O anúncio foi feito pelo Twitter.

Fundador do movimento Endireita Brasil e ex-diretor jurídico da Sociedade Rural Brasileira (SRB), o novo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, é um nome conhecido do ambientalismo paulista: comandou a secretaria de Meio Ambiente entre 2016 e 2017, onde colecionou polêmicas e um processo por improbabilidade administrativa.

Secretário de Meio Ambiente de São Paulo, durante o governo de Geraldo Alckmin (PSDB), Salles frequentemente foi acusado de atropelar pareceres técnicos. Um deles foi a alteração do zoneamento da proposta de plano de manejo da Área de Proteção Ambiental da Várzea do Rio Tietê, o que o levou a ser processado pelo Ministério Público Estadual. Salles ainda é réu no processo.

Última escolha

Desde o anúncio de que Tereza Cristina assumiria o ministério da Agricultura, há um mês, se aguardava a escolha do comando do novo ministério do Meio Ambiente. Bolsonaro deixou claro que a escolha passaria pelo crivo dos ruralistas. Todos os nomes que estavam sendo cotados têm boa reputação entre os ruralistas.

Na quarta-feira (05), o presidente eleito disse aos jornalistas que estava difícil a escolha do novo ministro. “Temos bons nomes, mas estamos procurando aquele que melhor se adapte àquilo que eu quero, ou seja, a preservação do meio ambiente sem prejudicar outras atividades”, afirmou.

A escolha de Salles para o ministério do Meio Ambiente encerra a composição da equipe de ministros que irão assumir, junto com o presidente eleito, Jair Bolsonaro, em janeiro de 2019.

 

Leia Também 

Bolsonaro admite ser difícil escolher novo ministro do Meio Ambiente

Líder da bancada ruralista será a ministra da Agricultura de Bolsonaro

Maitê Proença e Xico Graziano: conheça os cotados para assumir o MMA

 

7 comentários em “Fundador do Endireita Brasil, Ricardo Salles é o novo ministro do Meio Ambiente”

  1. Ontem mesmo o Greenpeace já se manifestou contra a indicação do novo Ministro. E vai começar o mimimi e chororô geral.

    O fato das ONGs, do Greenpeace, ambientaleiros, climatistas, eco-xiitas, ongueiros e engajadinhos em geral estarem em cólicas e com urticária, só prova que, mais uma vez, o presidente eleito Jair Bolsonaro acertou em cheio na escolha do excelente quadro para o MMA.

    Que o Dr. Salles ajude, com o resto da equipe do futuro presidente, a RESGATAR definitivamente este país para o cidadão prestante, para o homem de bem, e para o verdadeiro patriota brasileiro.

    Responder
  2. A gritaria dos eco-esquerdistas mostra que o Presidente Bolsonaro acertou em cheio na escolha. A partir de janeiro o MMA vai começar a trabalhar em prol do Brasil e não mais da concorrência internacional. Só lembrando aos "ecologeiros" que o Brasil possui mais área preservada do que determina a lei e muito mais do que qualquer país metido a salvador do planeta, aqueles que querem fazendas lá e florestas aqui. Nós temos os dois, fazendas e florestas, graças aos produtores rurais. Consultem a Embrapa Territorial.

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.