Espécie de marsupial é descoberta no Arco do Desmatamento, na Amazônia

Duda Menegassi
segunda-feira, 14 dezembro 2020 14:51
O pequeno marsupial (Marmosops marina) ocorre na região do Arco do Desmatamento. Foto: Thiago Semedo

Em pleno Arco do Desmatamento, pesquisadores descobriram uma nova espécie de marsupial na Amazônia. A área de ocorrência do animal, que coincide exatamente com a região mais pressionada do bioma, vai do norte de Mato Grosso ao sul do Pará, o que pode significar que a espécie já está sob forte ameaça. O marsupial foi batizado de Marmosops marina, uma homenagem à Marina Silva. Pequeno como a ex-ministra do Meio Ambiente, o animal mede até 13 centímetros e pesa não mais do que 32 gramas.

A pesquisa foi desenvolvida pela bióloga Claudilívia Ferreira dos Santos, do Laboratório de Mastozoologia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). A descoberta foi descrita em artigo publicado no periódico científico Zootaxa e é assinado por outros três pesquisadores: Luan Gabriel Lima-Silva e Rogério Vieira Rossi, ambos da UFMT; e Ana Cristina Mendes de Oliveira, da Universidade Federal do Pará.

“A nova espécie Marmosops marina ocorre ao sul do rio Amazonas, na bacia do rio Tapajós, incluindo os rios Teles Pires e Juruena que são constantemente ameaçados pelo garimpo ilegal e construções de usinas hidrelétricas. A espécie ocorre, portanto, na região norte do Mato Grosso e sul do Pará, coincidindo com o arco do desmatamento, que é a região de fronteira agrícola do país que mais sofre com desmatamento ilegal”, alerta a pesquisadora Claudilívia Ferreira sobre possíveis ameaças antrópicas ao recém-descoberto marsupial.

É uma espécie que se locomove sobre os ramos das árvores, assim como por cipós e pelo chão. Os cientistas acreditam que sua alimentação é composta de insetos e frutas, assim como de outras espécies do mesmo gênero que são próximas a ela, para as quais já existem estudos de dieta.

De acordo com a bióloga, a homenagem à Marina Silva é um reconhecimento pelo trabalho que ela desempenhou à frente do Ministério do Meio Ambiente entre 2003 e 2008, época em que o desmatamento na Amazônia registrou os menores índices em sua série histórica. “E o Brasil assumiu posição de destaque em preservação ambiental, pela valorização da ciência e comprometimento com a conservação da flora, fauna, cultura e seus povos da Amazônia”, lembra Claudilívia.

A agraciada, Marina Silva, se pronunciou através de sua conta pessoal no Twitter, onde postou uma foto do animal e disse estar emocionada com o batismo do marsupial. “Nasci e cresci na floresta e tenho dedicado minha vida à defesa da natureza e à luta por um modo de desenvolvimento humano baseado no respeito ao meio ambiente. Uma homenagem dessas representa, para mim, o reconhecimento de minha identidade e de meu trabalho”, escreveu Marina.

O marsupial recém-descoberto Marmosops marina. Foto: Thiago Semedo

Ela aproveitou para ressaltar os desafios enfrentados atualmente por pesquisadores e por aqueles envolvidos na conservação da natureza. “Acho que esses bons amigos percebem que também reconheço a importância do trabalho que fazem e sou solidária nas dificuldades (e até perseguições) que eles enfrentam. (…) É revoltante que o governo desse país corte as verbas, enfraqueça as instituições e coloque crescentes dificuldades aos seus cientistas e pesquisadores”, criticou.

A ex-ministra brincou ainda que se identificou com o Marmosops marina. “E até confesso que me identifiquei pessoalmente com esse marsupial, pequeno, magrinho e de olheiras escuras, pesquisado pela equipe de Mato Grosso. Por isso agradeço, sensibilizada, esse verdadeiro presente no mês do Natal”, escreveu.

Não é a primeira vez que Marina Silva é homenageada por cientistas em suas descobertas. Ela também inspirou pesquisadores do Jardim Botânico do Rio de Janeiro a dar o nome a uma espécie vegetal, a Pleroma marinana, descrita em 2014.

 

Leia também

Através do canto, pesquisadores descobrem nova espécie de perereca na Amazônia

Um terço de toda Amazônia está sob alta pressão de devastação

Desmatamento na Amazônia chega a 11.088 km² e é o maior em 12 anos

60 comentários em “Espécie de marsupial é descoberta no Arco do Desmatamento, na Amazônia”

  1. Podiam ter colocado um nome científico relacionado ao local onde a espécie foi encontrada, alguma característica anatômica, mas não…mais um tijolinho na hagiografia da "única política honesta" do Brasil! Hagiografia esta que conta até com um órgão público nomeado com o apelido de seu dito "padrinho" político, em clara auto-homenagem não tão dissimulada. Vaidade. Triste. Serviço público é impessoal, diz a Constituição. Ciência faria bem se também fosse.

    Responder
  2. "Pequeno como a ex-ministra do Meio Ambiente, o animal mede até 13 centímetros e pesa não mais do que 32 gramas."
    Até a jornalista mostra "discretamente" a admiração pela pequena, mesmo sendo uma notícia.

    Responder
  3. Se fosse marmosopos bolsonarus estaria caindo o mundo sobre nosso presidente não é? Hein digam aí esquerdistas …
    Vocês querem polarizar, mas o Brasil é unido pela justiça e pelo que é certo, valores que se perderam na era vermelha…

    Responder
  4. Os caras descobrem uma linda Cuíca, super vista e conhecida aqui em santa catarina. Ai vão lá e fazem uma nobre e merecida " homenagem ". Chega a ser engraçado, mas qnd na verdade é trágico. Aqui não queridinhos.

    Responder
      • Deixem de ser estúpidos. Parem de provar a própria burrice. Uma espécie pode ser quase idêntica à outra e ainda assim ser outra espécie. Cuíca tem centenas de espécies no Brasil. Pela foto da sua pescaria vc não vai provar facilmente que a espécie já estava catalogada.

        Responder
      • Deixem de ser estúpidos. Parem de provar a própria burrice. Uma espécie pode ser quase idêntica à outra e ainda assim ser outra espécie. Cuíca tem centenas de espécies no Brasil. Pela foto da sua pescaria vc não vai provar nada, muito menos que a espécie já estava catalogada.

        Responder
  5. Como sempre o extremismo dando sua nota,! Não se homenageou esquerda, direita, centro . Não tem politica neste assunto. Tem a reverência a uma pessoa que deu alguma contribuição para salvaguardar o bioma. Quando seu deus fizer algo para a ciência/bioma que mereça homenagem ele terá. Até agora ele só "tentou" desmerecer a ciência e desrespeitou os cientistas. Ora bolas!!!

    Responder
    • O binarismo do brasileiro chegou em níveis críticos! O primeiro cmt faz um apelo à impessoalidade, daí já vem a turma colocar Bolsonaro no meio do assunto, e essa aí em cima vem dizer que "Não se homenageou esquerda, direita, centro. Não tem politica neste assunto"…é brincadeira!?! Tipo aquele torcedor fanático (logo, imbecil!) que nunca admite que o jogador do time dele fez o penalty. Brasil não tem solução…desistam!

      Responder
    • O binarismo mental do brasileiro chegou em níveis críticos! O primeiro cmt faz um apelo à impessoalidade, daí já vem a turma colocar Bolsonaro no meio do assunto, e essa aí em cima vem dizer que "Não se homenageou esquerda, direita, centro. Não tem politica neste assunto"…é brincadeira!?! Tipo aquele torcedor fanático (logo, imbecil!) que nunca admite que o jogador do time dele fez o penalty. Brasil não tem solução…desistam!

      Responder
  6. Essa mucurinha aí e o que mais tem nas estradas elas são noturnas ficam no meio das estradas e acabam sendo atropeladas principalmente aqui na am 010 e o que mais tem, agora que ela foi descoberta? Então os pesquisadores estão dormindo.

    Responder
    • Tem desconhecimento e chute aí.
      Se o bicho tem uma vida bastante arboriculoa, como é que " e o que mais tem nas estradas".
      È a mania de desmerecer o conhecimento, a dedicação de quem pesquisa ao lago neste País. E lhe digo que tenho enfrentado os pesquisadores da área, pelo fato de existir muito "projeto, muito diagnóstico" e pouca ação para usar estas informações.
      Agora sobre o Presidente, é óbvio que não recebeu homenagem, pois o aloprado diz que " esta porra de árvore, etc, etc", lembram ou esqueceram.
      E no mais querendo ou não quem segurou os cupins avançar naquela direção foi a ex ministra.

      No mais é mimi e mimi.

      Até.

      Responder
  7. Bichinho lindo, de hábitos noturnos, assim como seu parente, o gambá. Dócil, e por vezes, o humano o confunde com ratos. Em Jundiaí eles costumam percorrer os quintais das casas, à procura de alimentos!

    Responder
  8. Os Bostonaristas vão matar e exterminar todos e nos inertes perante esses nazistas. Dizer que Leonardo de Caprio e ongs e colocavam fogo na Floresta Amazônica foi o maior cinismo desses nazistas

    Responder
  9. Quanto imbecil terraplanista metido a sabichão.
    Querem saber mais que cientistas que dedicam a vida ao conhecimento.
    Para os terraplanista e admiradores do pseudo ditadorzinho medíocre, todo marsupial é igual.
    Merecem o presidente que tem!

    Responder
  10. Se queriam depreciar Marina Silva e caracteriza-la como semelhante a um 'gambá' fizeram sem serem compreendidos nem mesmo por ela….A maldafe não tem esquerda nem direita…A maldade se faz sempre em depreciar e enfraquecer. Mikael.

    Responder
  11. Para alguns o tesouro é madeira retirada da floresta, para outros o minério em baixo da terra e ainda tem os que querem para pasto do seu gado ou plantio de soja(uma merda diga-se de passagem) mais o verdadeiro tesouro está no sustento da vida que floresce na floresta e pode ser manejada com exploração sustentável da floresta, mais é desprezada pelo o homem e sua ganância e apoiada pelos pobres capitalistas que sonham em um dia pssuir e ser poderoso não sabendo que o jogo já foi definido a muito, o que resta é rir por não ter essa ânsia, ganância ou tão famosa ambição desenfreada e não apoiar a demanda de destruição e terror onde sei que só traz prejuízo a toda vida .

    Responder
  12. Meu Deus! Inventei de ler os comentários e me decepcionei tanto! Achei o por se tratar de um ótimo site “O Eco”, deveria ser frequentado apenas por pessoas , no mínimo, bem informadas. Realmente o mundo não tem solução levando em conta a quantidade enorme de comentários infelizes e pessoas desinformadas… triste

    Responder
  13. Esse ratinho la na china é usado p fazer a vacina do corona virus. Eles fervem ele e o caldo é vendido para o Doria em sp. Eu li isso em outro site de renome como esse. So noticia 100% verdadeiras como essa aqui. No outro site o ratinho é chamado bobus da roças. Algum intelectual conhece? Vai tomar nu cuuuu viu só t esquerdista doido nesse pais.

    Responder
  14. Assustador, deprimente. Seres que não entendem absolutamente nada meio ambiente, que não fazem absolutamente nada pra melhorar porra nenhuma, conseguindo um duelo esquerda-direita. Estudem,façam faculdade, mestrado, doutorado, se enfiem na floresta por anos ganhando uma bolsa de valor vergonhoso, com medo de madeireiro, grileiro e outras entidades malignas, descubram uma nova espécie e dêem o nome das vossas respectivas genitoras, ou do seu político de estimação, se quiserem, pois o autor homenageia quem quiser. Desejo sorte aos pesquisadores…

    Responder
    • Bem, se a bolsa foi paga com dinheiro público, o Ilmo(a). Dr(a). Pesquisador(a) devia pensar bem antes de satisfazer um fetiche pessoal ao nomear a espécie. Em tempo, não escreva palavrões nos comentários, é deprimente.

      Responder
  15. Olá, mas esse animal da foto é um "Cuíca rabo de rato", super comum em Santa Catarina. 🤔
    Talvez seja uma espécie muuuuuiiiiitooooo parecida a que foi "descoberta". Será!?

    Responder
  16. Recem descoberto??
    Como assim, ja vi deste msm animal mais de 300 vezes, (catita, ou sarue) ja vi do mesmo no MT, MS e até .sn aqui em SP… Quando eu era pequeno ja criei varios, encontrava aos bolos dentro das tijelas emborcadas de seringueeira ,ou em troncos podres com orificios, onde eles colocam folhas secas para se esconderem e dormirem durante o dia

    Responder
  17. Eu já encontrei dos exemplares desse na minha casa, o primeiro no dia 23 de novembro de 2019, idêntico ao da foto, e um no dia 1 de dezembro com a macha nós olhos menos acentuada. E no caso moro no Goiás entre Goiânia e Brasília

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.