Notícias

Bolsonaro desautoriza operação do Ibama em UC desmatada

Presidente critica queimas de caminhões e tratores usados para desmatar ilegalmente a área protegida. Procedimento é regulamentado por decreto

Daniele Bragança ·
14 de abril de 2019 · 2 anos atrás
Em viagem à Macapá, presidente desautoriza operação de fiscalização do Ibama. Foto: Alan Santos/PR.

O presidente Jair Bolsonaro desautorizou o uso de um dos principais mecanismos do Ibama para reprimir o crime ambiental. Em vídeo ao lado do senador Marcos Rogério (DEM-RO), Bolsonaro desautorizou operação do Ibama que ocorre dentro da Floresta Nacional (Flona) do Jamari, em Rondônia, um dos estados mais desmatados da Amazônia.

Na gravação, o senador diz o Bolsonaro dará um recado ao povo de Rondônia e informa sobre o que está acontecendo nos municípios de Cujubim, onde fica a Flona do Jamari, e Espigão d`Oeste. “Estão queimando caminhões, tratores, o pessoal do meio ambiente, do Ibama”.

O Ibama realiza na região operação contra roubo de madeira na Flona.

“Ontem, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, veio falar comigo com essa informação. Ele já mandou abrir um processo administrativo para a apurar realmente o responsável disso aí. Não é pra queimar nada, maquinário, trator, seja o que for, não é esse procedimento, não é essa a nossa orientação”, diz o presidente.

“Obrigada presidente”, prossegue o senador Marcos Rogério (DEM-RO). “Não significa apoiar ilegalidades, significa cumprir a lei. Quem descumprir a lei responde na forma da lei, não destruir o patrimônio”, encerra, antes de agradecer ao presidente. “Estamos juntos”.

Assista ao vídeo publicado pelo portal Uol:

Ao contrário do que o senador afirmou, o procedimento faz sim parte das orientações do Ibama e está descrito no decreto 6.514, de 2008, portanto os fiscais estão cumprindo a lei.

Art. 111.  Os produtos, inclusive madeiras, subprodutos e instrumentos utilizados na prática da infração poderão ser destruídos ou inutilizados quando:

I – a medida for necessária para evitar o seu uso e aproveitamento indevidos nas situações em que o transporte e a guarda forem inviáveis em face das circunstâncias; ou

II – possam expor o meio ambiente a riscos significativos ou comprometer a segurança da população e dos agentes públicos envolvidos na fiscalização.

Parágrafo único.  O termo de destruição ou inutilização deverá ser instruído com elementos que identifiquem as condições anteriores e posteriores à ação, bem como a avaliação dos bens destruídos.

Os procedimentos para a aplicação das ações previstas no art. 111 do Decreto nº 6.514, de 22 de julho de 2008 foi regulamentado pela Instrução Normativa nº 3, de 2018.

A inutilização do maquinário é feita principalmente em áreas remotas da Amazônia, onde a logística é tão cara que não permitiria levar o bem apreendido para a sede mais próxima do Ibama. A inutilização também torna o preço do delito ambiental mais caro para o infrator, normalmente empresários com dinheiro suficiente para comprar tratores, correntões, balsas e motosserras capazes de retirar quantidade expressiva de madeira por dia, ao ponto de chamar atenção da fiscalização, que descobre o desmatamento através das imagens do  Deter, sistema do Inpe de detecção de desmate em tempo real que consegue “enxergar” desmatamento a partir de 3 hectares desmatados.

Floresta Nacional do Jamari desmatada em 2016. Foto: Ibama.

 

Leia Também 

Projeto quer impedir Ibama de destruir equipamentos durante fiscalização

Após declarações de Ricardo Salles, INPE divulga as diferenças entre os sistemas de monitoramento

Desmonte de políticas ambientais é a marca dos 100 dias de governo Bolsonaro

 

  • Daniele Bragança

    É repórter especializada na cobertura de legislação e política ambiental. Formada em jornalismo pela Universidade do Estado d...

Leia também

Reportagens
10 de abril de 2019

Desmonte de políticas ambientais é a marca dos 100 dias de governo Bolsonaro

Discurso anti-ambientais somados ao desmantelamento de órgãos públicos figuram entre as principais mudanças nos primeiros três meses de governo

Notícias
17 de janeiro de 2019

Após declarações de Ricardo Salles, INPE divulga as diferenças entre os sistemas de monitoramento

Instituto conta com três sistemas de monitoramento: Prodes, Deter e TerraClass. Ministro tem falado em criar monitoramento que já existe

Salada Verde
10 de agosto de 2017

Projeto quer impedir Ibama de destruir equipamentos durante fiscalização

Proposta de Nilson Leitão, líder dos ruralistas na Câmara, prevê que maquinário, veículos e  instrumentos fique de posse do órgão ambiental por 90 dias

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 3

  1. danyrius19 diz:

    Vicente, seu comentário foi apagado por violar nossa política de comentários. Por favor, olhe as regras e poste de novo. https://www.oeco.org.br/politica-de-comentarios/


  2. José Alves diz:

    Se o MPF quiser pode empurrar um crimexinho no presidente falastrão.


  3. Paulo diz: