Notícias

Audiência pública discute recriação de parque extinto na Paraíba

O antes estadual Parque do Poeta, extinto em 2020, pode ser recriado pelo município. Audiência pública é nesta quinta (29) às 10 horas, com transmissão online

Duda Menegassi ·
27 de abril de 2021

Extinto no dia 28 de outubro de 2020, o Parque Estadual do Poeta, localizado em Campina Grande, na Paraíba, pode ressurgir, com outro nome e em âmbito municipal. Nesta quinta-feira (29), a Câmara Municipal de Campina Grande realizará uma audiência pública para discussão e consulta sobre a criação do Parque Natural Municipal Serra da Borborema, que deverá “preservar sempre que possível, os limites do antigo Parque Estadual do Poeta”. Com início previsto para 10 horas, o evento será realizado de forma virtual, com transmissão ao vivo pelas páginas da Câmara.

O projeto de lei (nº325/2020) que cria o parque municipal é do vereador Saulo Noronha (Solidariedade-PB). “Em virtude da necessidade de promover educação ambiental o Parque Municipal Serra da Borborema tem como objetivo a preservação dos ecossistemas naturais relevantes ao município, a realização de pesquisas científicas, a recuperação de áreas degradadas, o desenvolvimento de atividades de educação e interpretação ambiental, de recreação em contato com a natureza”, descreve o PL.

O Parque Estadual do Poeta, criado em 2004, protegia um território de 267 hectares de Caatinga. Um projeto de lei enviado pelo próprio governador do estado, João Azevedo Lins Filho (Cidadania-PB), foi aprovado pela Assembleia Legislativa, e sentenciou a desafetação e o fim da unidade de conservação, com o objetivo de expandir a área comercial e imobiliária para dentro da área protegida. A urgência em recriar uma unidade de conservação no território é uma corrida dos ambientalistas contra a voracidade da expansão urbana de Campina Grande para cima do remanescente de Caatinga.

O território em jogo está inserido dentro das Áreas Prioritárias para Conservação da Biodiversidade na Caatinga (Ministério do Meio Ambiente, 2018), entre São José da Mata e o Cariri Paraibano, zonas consideradas de importância biológica alta e extrema, com habitats de Caatinga arbórea densa e arbustiva aberta.

Leia também

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação e montanhismo. Escreve para ((o))eco desde 2012. Autora do livr...

Leia também

Reportagens
8 de julho de 2020

Pesquisa mapeia degradação ambiental em remanescentes de Caatinga

Estudo considerou as pressões antrópicas próximas aos fragmentos de vegetação nativa e revelou que porções norte e leste do bioma são as potencialmente mais perturbadas

Notícias
1 de novembro de 2020

Governo da Paraíba extingue parque estadual na Caatinga

Com o fim da área protegida, parte do terreno de 267 hectares será destinado para construção de um centro de convenções. Argumento para extinção foi o estado de abandono do parque

Notícias
16 de dezembro de 2020

Extinto pelo Governo da Paraíba, parque na Caatinga pode ressurgir através da prefeitura

Mobilização da sociedade civil e Projeto de Lei na Câmara dos Vereadores podem cimentar caminho para que ex-parque estadual da Paraíba, extinto em outubro, seja recriado pelo município

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta