Notícias

Arquiteto pede para sair da gestão de Fernando de Noronha

Em carta enviada ao presidente do ICMBio, João Rocha afirma que não se encontra "em condições de seguir em frente na missão" que Salles o colocou e é exonerado

Duda Menegassi ·
8 de fevereiro de 2021
Com a saída de Rocha, Noronha volta a ter uma servidora de carreira do ICMBio no comando. Foto: Duda Menegassi

Em uma rara boa notícia quando o assunto é troca de chefia dentro dos órgãos ambientais, o arquiteto João Luiz do Nascimento da Rocha foi exonerado nesta segunda-feira (08), a pedido do próprio, do cargo de chefe do Núcleo de Gestão Integrada (NGI) de Fernando de Noronha. Em seu lugar, entra a servidora de carreira do ICMBio, Carla Guaitanele, que passa a gerir tanto a Área de Proteção Ambiental quanto o Parque Nacional Marinho que protegem o arquipélago. A saída de Rocha foi solicitada por ele, em carta enviada ao presidente do ICMBio, Fernando Lorencini. No texto, ele cita dificuldades financeiras para viver na ilha e um tratamento de saúde, como alguns dos motivos pelos quais desejava sair. “Não me encontro em condições de seguir em frente na missão que o Ilustríssimo Ministro do Meio Ambiente, Sr. Ricardo Salles me colocou”, lamenta Rocha na carta.

O arquiteto comenta ainda que o Grupo de Trabalho criado pela Gerência Regional “já tem o caminho para destravar nossa unidade” e faz uma lista de ações consideradas por ele primordiais para melhorar a qualidade de vida dos moradores da ilha, onde cita desde o recadastramento dos pescadores em geral, licitação dos prédios públicos à “requalificar a fiscalização” e renovar os veículos marinhos e terrestres do NGI.

Trecho da carta em que pede sua exoneração do cargo de chefia do NGI de Noronha. Reprodução

João Luiz do Nascimento da Rocha é morador permanente da ilha e possui formação em arquitetura. Apesar da falta de experiência na área ambiental, assumiu a chefia de um dos núcleos de unidades de conservação de maior evidência do ICMBio em julho de 2019. A frente do NGI, Rocha assinou a polêmica liberação da captura de sardinha dentro dos limites do parque nacional e cedeu a outorga para um novo bar em um mirante dentro da Área de Proteção Ambiental.

Na carta, Rocha indica sua atual sucessora, Carla Guaitanele, que já foi chefe do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e atuou por anos em diretorias do ICMBio voltadas para planejamento, uso público e parcerias. Atualmente, a visitação no Parque Nacional Marinho é gerida pela concessionária EcoNoronha.

 

Leia também

ICMBio firma termos de compromisso com pescadores para captura de sardinha

Chefe de Noronha será responsável pela liberação da pesca de sardinha, oficializa ICMBio

Arquiteto assume chefia do Parque Nacional e APA de Fernando de Noronha

 

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação e montanhismo. Escreve para ((o))eco desde 2012. Autora do livr...

Leia também

Notícias
28 de julho de 2019

Arquiteto assume chefia do Parque Nacional e APA de Fernando de Noronha

Nomeação ocorreu uma semana após o ministro do Meio Ambiente visitar o arquipélago. Morador permanente da ilha, João Luiz do Nascimento trabalhou como diretor de infraestrutura na ilha  

Notícias
17 de novembro de 2020

Chefe de Noronha será responsável pela liberação da pesca de sardinha, oficializa ICMBio

Chefe da APA e do Parque Marinha desde julho de 2019, o arquiteto João Luiz do Nascimento assinará os termos de compromisso entre os pescadores e o órgão ambiental

Notícias
21 de janeiro de 2021

ICMBio firma termos de compromisso com pescadores para captura de sardinha

Com o termo, os primeiros publicados, pescadores ficam autorizados a pegar sardinha dentro dos limites do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta