Notícias

Aplicativo ajuda pesquisadores no registro de onças em todo o país

Além de servir para conhecer melhor onde estão os grandes felinos no Brasil, o “Oia Onça” vai facilitar o acesso de pesquisadores aos dados sobre esses animais

Vandré Fonseca ·
2 de julho de 2018 · 3 anos atrás
Pesquisadores da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) pretendem mapear registros de onças em todo o país, por meio de um aplicativo de celular, o OIAA Onça. Foto: Divulgação/OIAA Onça.

Manaus, AM — Pesquisadores da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) pretendem mapear registros de onças em todo o país, por meio de um aplicativo de celular. O Oiaa Onça já está disponível para download.

Iniciativa é do projeto de extensão universitária Amigos da Onça, que desde 2016 monitora notícias sobre avistamentos de animais e conflitos entre seres humanos e grandes felinos.

“Em vez de ter os dados a cada 5 anos, em alguma publicação científica, teremos on-line 24 horas por dia”, afirma o biólogo Rogério Fonseca, professor da UFAM.

Mas ele esclarece que os dados vão estar acessíveis apenas a pesquisadores registrados no sistema. Uma medida para evitar que a ferramenta seja usada, por exemplo, por caçadores.

Por meio do aplicativo, sinais da presença de onça como pegadas, fezes ou mesmo avistamentos, além das coordenadas geográficas podem ser registrados. A validação é feita por especialistas do projeto.

O professor universitário diz que é uma iniciativa de ciência cidadã, que coloca um grande número de pessoas, com profissionais da assistência técnica rural e estudantes, além obviamente de pesquisadores.

Até agora, foram feitos cerca de 30 registros por meio do aplicativo, todos no estado do Amazonas. O primeiro foi de uma onça-parda, na área urbana de Manaus.

A presença do animal havia sido registrada por servidores do Ministério Público Estado e órgãos de proteção. A comprovação veio em uma visita do biólogo ao local, acompanhado pelo Batalhão Ambiental da Polícia Militar.

Foram encontradas pegadas da suçuarana perto de um riacho, em uma área verde na Zona Oeste de Manaus. Uma parte da cidade cercada por condomínios.

Além do monitoramento de registros, o projeto Amigos da Onça realiza pesquisas sobre o uso de mecanismos não letais para a dissuasão de grandes felinos, autorizados pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)

Entre esses métodos estão o uso de fogos de artifício ou até mesmo espantalhos, que podem ser usados por fazendeiros ou órgãos públicos para evitar o abate de animais em situações de conflito.

O aplicativo, pelo menos por enquanto, só funciona em Android e pode ser baixado pelo Google Play ou pelo seguinte endereço: https://play.google.com/store/apps/details?id=br.edu.ufam.amigosdaonca.oiaaonca

 

Foto: Divulgação/OIAA Onça.

 

Foto: Divulgação/OIAA Onça.

 

Leia Também

O pesquisador que quer salvar animais com um celular

A maior onça já registrada em Mamirauá (mas existem maiores por aí)

Onças e outros gatos são ameaçados pela caça na Caatinga

 

Leia também

Notícias
16 de abril de 2018

Onças e outros gatos são ameaçados pela caça na Caatinga

Se não são vítimas diretas, perdem alimentos devido a concorrência do ser humano, que abatem as presas maiores e desequilibram a dieta dos felinos

Notícias
7 de abril de 2017

A maior onça já registrada em Mamirauá (mas existem maiores por aí)

Onça-pintada capturada por pesquisadores do Instituto Mamirauá é menor que animais encontrados em outras regiões, mas é a maior já registrada em 10 anos de pesquisas em florestas de várzea na Amazônia

Análises
16 de setembro de 2013

O pesquisador que quer salvar animais com um celular

As estradas brasileiras matam não só gente como milhões de animais por ano. Pesquisas e uso de tecnologia podem ajudar a conter o problema.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta