Notícias

AEB corta verba do INPE, mas gasta R$ 5 milhões na compra de mobiliário

Gasto está registrado no Diário Oficial da União da última sexta-feira. Agência Espacial Brasileira fez corte de 49% no orçamento destinado ao INPE para 2021

Cristiane Prizibisczki ·
25 de agosto de 2020 · 1 anos atrás
Agência Espacial Brasileira. Foto: Ricardo Fonseca/ASCOM -MCTIC.

Na mesma semana em que veio a público o corte no orçamento que Agência Espacial Brasileira (AEB) destinará ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) em 2021 – com repasse zero para a área de pesquisa, desenvolvimento e capital humano do Instituto – a AEB registrou gasto de R$ 5,5 milhões para “aquisição e instalação de divisórias”.

O gasto está registrado na Seção 3 do Diário Oficial da União (DOU) da última sexta-feira (21), e tem o valor total de R$ 5.541.773,00. A assinatura do contrato de compra aconteceu dois dias antes, 19 de agosto.

O Projeto de Lei Orçamentária Anual 2021, que deve ser votado no final de agosto e cujos dados vieram a público no dia 17 de agosto, informa que, para o próximo ano, a AEB destinará ao INPE R$ 32,7 milhões, um corte de 49% em relação ao orçamento que o Instituto de Pesquisas Espaciais recebeu da agência em 2020 (R$ 63,6 milhões).

Por decisão unilateral da AEB, a área de pesquisa, desenvolvimento e capital do INPE não receberá verba alguma em 2021. O orçamento destinado pela Agência para este segmento do Instituto de Pesquisas em 2020 foi menor que o gasto atual com o mobiliário (R$ 4,7 milhões). Para 2021, o INPE havia solicitado R$ 5,7 milhões, em uma tentativa de restaurar parte das perdas de anos recentes. Receberá zero.

Reprodução: Seção 3, DOU.

O Eco entrou em contato com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTIC), órgão ao qual a AEB é vinculada, para saber onde as divisórias serão instaladas e a real necessidade do gasto com mobiliário em época de recessão e cortes de gastos, mas não recebeu resposta até o fechamento da matéria.

Atualmente, o orçamento do INPE é composto de verbas provenientes da AEB e do MCTIC. A dotação orçamentária proveniente do MCTIC para 2021 é de R$ 46,9 milhões, um corte de 14% em relação a 2020, quando Instituto recebeu R$ 54,6 milhões da pasta.

 

Leia Também 

Defesa investe R$ 145 milhões na compra de satélite para monitorar Amazônia

Governo exonera coordenadora do INPE em meio a notícias sobre alta de desmatamento 

Após 8 meses com interino, MCTI escolherá novo diretor do INPE

 

 

 

 

 

  • Cristiane Prizibisczki

    Cristiane Prizibisczki é Alumni do Wolfson College – Universidade de Cambridge (Reino Unido), onde participou do Press Fellow...

Leia também

Salada Verde
19 de abril de 2020

Após 8 meses com interino, MCTI escolherá novo diretor do INPE

O militar Darcton Policarpo Damião está como interino desde agosto. Regimento interno exige que diretor seja escolhido por um comitê de busca

Reportagens
13 de julho de 2020

Governo exonera coordenadora do INPE em meio a notícias sobre alta de desmatamento 

Saída de pesquisadora responsável pelos dois principais sistemas de monitoramento do desmatamento na Amazônia é mais um capítulo de uma reestruturação silenciosa

Reportagens
21 de agosto de 2020

Defesa investe R$ 145 milhões na compra de satélite para monitorar Amazônia

Valor empenhado é 45 vezes maior que o orçamento atual de programas do INPE que monitoram desmatamento e queimadas não só na região Amazônica

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta