Notícias

A baleia-comum hoje é baleia-rara

Apesar das proibições, a espécie ainda é caçada por óleo, barbatanas e, pricipalmente, carne. Hoje está em perigo de extinção.

Redação ((o))eco ·
12 de dezembro de 2014 · 7 anos atrás

Uma baleia-comum ([i]Balaenoptera physalus[/i]) fotografada em meio a um salto, no Mar Mediterrâneo. Foto:
Uma baleia-comum ([i]Balaenoptera physalus[/i]) fotografada em meio a um salto, no Mar Mediterrâneo. Foto:

A baleia-comum (Balaenoptera physalus) é o segundo maior animal existente no planeta, depois da baleia-azul. Também conhecida como baleia-fin e rorqual-comum, este mamífero marinho pode atingir até 27 metros de comprimento. As baleias-comuns podem ser encontradas em todo os principais oceanos. Entretanto, elas foram severamente afetadas pela caça comercial de baleias: cerca de 750 mil animais foram mortos em áreas do hemisfério sul só entre 1904 e 1979, e elas raramente são avistadas lá hoje. O status atual destes animais é desconhecido na maioria das áreas fora do Atlântico Norte. Embora a Comissão Baleeira Internacional (CBI) tenha obtido uma moratória para a pesca comercial da espécie, Groenlândia, Islândia, Noruega e Japão ainda continuam a caça em determinadas épocas do ano. Também ameaçada por colisões com navios e ruídos de atividades humana nos oceanos, a baleia-comum é considerada com espécie Em Perigo de Extinção pela Lista Vermelha da IUCN.

 

 

Leia Também
Os gigantescos perigos para a tartaruga-de-couro
Atum-rabilho: caiu na rede, está em extinção
Deixe o panda-vermelho em paz

 

 

 

 

Leia também

Notícias
21 de junho de 2021

Estado do Rio reconhece sua 100ª reserva particular

A marca da centésima Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) foi alcançada na última semana. Reservas correspondem a mais de 8.400 hectares protegidos no estado

Reportagens
21 de junho de 2021

Coalizão entre ciência e sociedade acena com esperança para a Baía de Guanabara

Universidade do Mar buscará potencializar parcerias para enfrentamento da problemática socioambiental da baía mais populosa e degradada do Estado do Rio de Janeiro

Salada Verde
21 de junho de 2021

Salles exonera superintendente do Ibama no Acre

Helen de Freitas Cavalcante ficou três meses no cargo. Antes de assumir a superintendência do Ibama, advogada atuava na defesa de infratores ambientais

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta