Colunas

Muito mais que Machu Picchu

Os atrativos do Peru ultrapassam as belezas da cidade pré-colombiana, exemplo disso é o Parque Nacional Huascaran, com 340 mil hectares de estonteante beleza

21 de setembro de 2017 · 4 anos atrás
  • Marc Dourojeanni

    Marc Dourojeanni

    Consultor e professor emérito da Universidade Nacional Agrária de Lima, Peru. Foi chefe da Divisão Ambiental do Banco Interam...

Parque Nacional Huascaran. Foto: Marc Dourojeanni
Parque Nacional Huascaran. Foto: Marc Dourojeanni.

Os turistas vão ao Peru, na sua maior parte, para visitar Cusco e Machu Pichu e, claro, para comer bem. Machu Picchu é imperdível. Mas, quem acha que isso é o único que é imperdível no Peru está muito errado. São dúzias os lugares tão ou mais belos e impressionantes que existem, alguns deles muito perto de Lima. Nesta oportunidade só se menciona o Parque Nacional Huascaran, ou seja, 340.000 hectares de natureza com mais de 660 glaciares e 300 lagoas a apenas uns 400 quilômetros  ao nordeste de Lima. Ademais, na rota a cidade de Hauraz, desde onde é mais fácil visitar o Parque, se passa por outros locais interessantes como a Reserva Nacional Lachay e o sítio arqueológico Caral, a cidade pré-colombiana mais antiga das Américas.

Huascaran está situado na Cordilheira Branca que separa os vales conhecidos como Huaylas que desce ao Pacífico e Conchucos, que desce a Amazônia. O Parque protege numerosas espécies de animais e plantas únicas e raras, como a vicunha e o urso de óculos, ademais de muitas aves incluído o condor e plantas. A mais conspícua e a Puyaraimondi, uma espécie parente do abacaxi que alcança mais de 12 metros de altura. No começo do vale de Conchucos se encontra o famoso templo pré-incaico de Chavin, uma cultura que até antes da redescoberta de Caral, era reputada como a mais antiga do Peru.

Existem várias vias que cruzam o Parque entre os dois vales, passando a uns 5.000 metros de altitude brindando vistas espetaculares sobre os nevados, as lagoas e as florestas remanescentes. Percorrer duas ou três destas vias , assim como visitar Lachay e Caral, leva de três a quatro dias. E, acredite, vale muito a pena. Veja as fotografias…

Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.
Foto: Marc Dourojeanni.

 

 

Leia Também

Brasil e Peru: Comparando legislações sobre áreas protegidas

Os dois anos do Ministério do Meio Ambiente do Peru

Mais uma: a ferrovia chinesa entre Brasil e Peru

 

 

Leia também

Colunas
1 de junho de 2015

Mais uma: a ferrovia chinesa entre Brasil e Peru

Os múltiplos projetos de rodovias e ferrovias ligando o Brasil ao Peru ou não tem planejamento, e se já existem, tem uso abaixo da capacidade.

Colunas
20 de maio de 2010

Os dois anos do Ministério do Meio Ambiente do Peru

O Peru foi o último país da Amazônia a estabelecer seu ministério. Mas apesar de sua pouca idade, o órgão conseguiu recuperar parte do atraso.

Colunas
24 de novembro de 2014

Brasil e Peru: Comparando legislações sobre áreas protegidas

Brasil e Peru tem quase três mil quilômetros de fronteira e legislações ambientais parecidas, o que sugere que cooperem para proteger melhor.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. AvatarJoão Carlos Carvalho diz:

    Grande Marc ,sempre dando uma aula de ecologia em seus artigos ! Eu visitei o seu país apenas duas vezes mas gostaria de voltar mas somente com você como guia !