Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Confirmado: os 4 macacos mortos na Tijuca foram envenenados

Sabrina Rodrigues
quarta-feira, 7 fevereiro 2018 19:26
Já são 79 primatas encontrados mortos no município e 215 em todo o estado. Foto: Rafael Carvalho – Flickr.

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro confirmou que os quatro macacos-prego encontrados mortos próximo à Floresta da Tijuca, há três semanas, foram envenenados. Na época, os corpos dos animais foram recolhidos pela equipe da Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde e enviados para a realização da necropsia.

Os animais foram encontrados na rua Alves Câmara, entre o Alto da Boa Vista e a Usina, próximo do setor Floresta do Parque Nacional da Tijuca, a Unidade de Conservação mais visitada do país.

Ainda segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, já são 79 primatas encontrados mortos no município do Rio de Janeiro e 215 em todo o estado, sendo 69% vítimas de agressão humana, como espancamento e envenenamento.

Todos os macacos mortos no estado estão sendo levados para necropsia no Instituto Jorge Vaitsman, órgão do município do Rio de Janeiro. É bom ressaltar que matar animais silvestres é crime ambiental, com pena de até um ano de prisão e multa e que os macacos não são transmissores da febre amarela.

*Ao contrário do que afirmamos os macacos mortos na Tijuca eram macacos-prego e não macacos-bugio. Agradecemos a leitora Luisa e ao Ernesto por nos avisar. Editado às 13h18 min do dia 08/02/2018.

 

Leia Também

Noventa macacos foram assassinados este ano no estado do Rio

Macacos encontrados mortos no Rio de Janeiro podem ter sido envenenados

Nenhum macaco bugio do Horto Florestal sobreviveu à febre amarela

 

3 comentários em “Confirmado: os 4 macacos mortos na Tijuca foram envenenados”

  1. Reforçando o comentario anterior, os bugios do.projeto de reintroduçao da especie no Parque Nacional da Tijuca estão bem.
    Os animais envenenados eram macacos-prego, especie comum no parque.

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.