Salada Verde

Confirmado: os 4 macacos mortos na Tijuca foram envenenados

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro confirmou o envenenamento dos macacos-prego. Até agora, já são 79 primatas encontrados mortos no município e 215 em todo o estado

Sabrina Rodrigues ·
7 de fevereiro de 2018 · 4 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Já são 79 primatas encontrados mortos no município e 215 em todo o estado. Foto: Rafael Carvalho – Flickr.

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro confirmou que os quatro macacos-prego encontrados mortos próximo à Floresta da Tijuca, há três semanas, foram envenenados. Na época, os corpos dos animais foram recolhidos pela equipe da Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde e enviados para a realização da necropsia.

Os animais foram encontrados na rua Alves Câmara, entre o Alto da Boa Vista e a Usina, próximo do setor Floresta do Parque Nacional da Tijuca, a Unidade de Conservação mais visitada do país.

Ainda segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, já são 79 primatas encontrados mortos no município do Rio de Janeiro e 215 em todo o estado, sendo 69% vítimas de agressão humana, como espancamento e envenenamento.

Todos os macacos mortos no estado estão sendo levados para necropsia no Instituto Jorge Vaitsman, órgão do município do Rio de Janeiro. É bom ressaltar que matar animais silvestres é crime ambiental, com pena de até um ano de prisão e multa e que os macacos não são transmissores da febre amarela.

*Ao contrário do que afirmamos os macacos mortos na Tijuca eram macacos-prego e não macacos-bugio. Agradecemos a leitora Luisa e ao Ernesto por nos avisar. Editado às 13h18 min do dia 08/02/2018.

 

Leia Também

Noventa macacos foram assassinados este ano no estado do Rio

Macacos encontrados mortos no Rio de Janeiro podem ter sido envenenados

Nenhum macaco bugio do Horto Florestal sobreviveu à febre amarela

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Notícias
11 de janeiro de 2018

Nenhum macaco bugio do Horto Florestal sobreviveu à febre amarela

Os 86 macacos pertencentes a 17 famílias de bugios foram exterminados desde a aparição do vírus, em São Paulo, em outubro do ano passado. Parque foi reaberto na terça (10)

Notícias
16 de janeiro de 2018

Macacos encontrados mortos no Rio de Janeiro podem ter sido envenenados

Quatro corpos foram achados próximos ao Parque Nacional da Tijuca. Enquanto isso, Reserva do Tinguá sente a ausência de macacos-bugio na sua região

Notícias
25 de janeiro de 2018

Noventa macacos foram assassinados este ano no estado do Rio

Especialistas consideram que a matança ocorre porque há um boato que eles transmitem a febre amarela. Ao todo, 131 primatas faleceram este ano

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 3

  1. Peterson diz:

    Na página d'O Eco no Facebook ainda está constando que são bugios.


  2. Ernesto V. Castro diz:

    Reforçando o comentario anterior, os bugios do.projeto de reintroduçao da especie no Parque Nacional da Tijuca estão bem.
    Os animais envenenados eram macacos-prego, especie comum no parque.


  3. Luisa diz:

    Os macacos da usina envenenados foram MACACOS PREGO. Não existe bugio na Usina.
    Por favor corrijam a reportagem antes que a mentira se multiplique.