Download PDF
 Visual do Mirante da Janela, um dos cartões-postais da Chapada, agora está dentro da área do parque nacional. Foto: Wikipédia.

Visual do Mirante da Janela, um dos cartões-postais da Chapada, agora está dentro da área do parque nacional. Foto: Wikipédia.

Agora é oficial. Depois de mais de 15 anos na expectativa, com a respiração presa e os dedos cruzados, a equipe do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros pode comemorar. A ampliação tão aguardada foi assinada ontem (05), Dia Mundial do Meio Ambiente, e saiu hoje no Diário Oficial da União. Com a assinatura, o parque passa a ter 240 mil hectares, mais que o triplo do seu tamanho anterior, de apenas 65 mil hectares. Veadeiros chegou a ter 625 mil hectares quando foi criado, em 1961. De lá para cá, sofreu sucessivas reduções.

O novo perímetro da unidade abrange pontos como o Morro da Baleia, o Sertão Zen, a Chapada Alta, além de cachoeiras e um dos maiores cartões-postais da Chapada dos Veadeiros, que até então ficava fora do parque, o Mirante da Janela.

Segundo o gestor do parque, Fernando Tatagiba, na maioria desses locais já existe uma visitação consolidada, portanto desenvolver esse potencial turístico será um trabalho rápido e sistemático, apenas para “garantir o ordenamento da visitação através da caracterização do impacto, a identificação de pontos críticos e a sinalização e o manejo das trilhas e atrativos”. Ainda de acordo com o gestor, a equipe “está realizando hoje um curso com os condutores da região já com o objetivo de fazer o ordenamento desses novos atrativos. É nossa primeira ação oficial com o parque ampliado”.

Horizonte de ampliação do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Foto: Duda Menegassi.

Horizonte de ampliação do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Foto: Duda Menegassi.

Entre as possibilidades abertas pela nova área, está a de criar novas trilhas de longa duração dentro da UC. Uma delas no Sertão Zen, onde já existe um caminho consolidado entre montanhistas de cerca de 19 quilômetros, que passa por cachoeiras e acompanha o Rio Macaco. Outra possibilidade seria uma travessia pela Chapada Alta, em um percurso que sairia de Teresina de Goiás e chegaria na Cachoeira de Simão Correia, perto do povoado do Moinho. Atualmente, o parque tem apenas uma opção de trilha de longa duração: a Travessia das Sete Quedas, com 23 quilômetros de extensão.

Os 175 mil hectares adicionados ao parque ainda terão que regularizar a questão fundiária. A princípio, de acordo com um estudo fundiário preliminar feito em 2014, existem poucos proprietários no local. Entretanto, diante da dinâmica imobiliária crescente na região nos últimos anos, o esforço de regularização ainda precisará ser mensurado. O Ministério do Meio Ambiente disponibilizou uma quantia para este fim, mas a UC poderá utilizar outros mecanismos como o de Reserva Legal, onde um proprietário com déficit de vegetação na sua terra compra uma área dentro de unidade de conservação e doa ao Estado, para garantir a regularização.

O zoneamento, que define as áreas tangíveis e intangíveis e os usos possíveis, ainda será desenvolvido pelo novo Plano de Manejo da unidade. De acordo com Tatagiba, esse ainda é horizonte de médio a longo prazo, mas que, graças à nova diretriz de elaboração e revisão de planos de manejo do ICMBio, deve acontecer no prazo máximo de dois anos.

Pacote do Dia Mundial do Meio Ambiente

Além de Veadeiros, o pacote de medidas comemorativas ao dia de destaque à causa ambiental incluiu a ampliação de outras duas unidades de conservação, Estação Ecológica do Taim (RS) e Reserva Biológica da União (RJ), e a criação de outra, o Parque Nacional dos Campos Ferruginosos (PA).

 

Leia Também

Governo cria Parque no Pará e amplia Veadeiros, Taim e União

Dia do Meio Ambiente: pacote incluirá ampliação de Veadeiros e Taim

Goiás quer adiar ampliação do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros por mais seis meses