Salada Verde

Operação fecha garimpo ilegal dentro da Terra Indígena Apyterewa no Pará

Agentes do Ibama, MPF e Polícias Militar e Federal encontraram cerca de um milhão de metros quadrados tomados por maquinário e armas mercúrio no interior da área

Sabrina Rodrigues ·
29 de outubro de 2019 · 2 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Agentes públicos encontraram cerca de um milhão de metros quadrados tomados por garimpeiros dentro da Terra Indígena Apyterewa. Foto: Polícia Federal.

Um garimpo ilegal que atuava dentro da Terra Indígena Apyterewa, entre os municípios de São Félix do Xingu e Altamira, no Pará, foi fechado em uma operação que envolveu agentes da Polícia Federal (PF), do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), da Polícia Militar (PM) e do Ministério Público Federal (MPF).

A operação ocorreu na segunda-feira (28).

O garimpo ocupava uma área de 100 hectares dentro da Terra Indígena. No “Pista Dois”, como era conhecido o garimpo ilegal, foram encontrados sete pás carregadeiras, um trator, dez conjuntos de motores-bombas. Os equipamentos são usados para escavar o solo em busca de ouro. Os agentes encontraram armas, munição e mercúrio, usado para separar o ouro nas atividades de mineração.

Trator e outras máquinas foram encontradas na operação. Foto: MPF.

Os agentes inutilizaram as máquinas de grande porte. A queima de maquinário encontrando dentro de unidades de conservação e de terras indígenas é procedimento descrito no decreto 6.514, de 2008 e tem como objetivo tornar o preço do delito ambiental oneroso para o infrator. A Polícia Federal avalia que cerca de R$ 2 milhões em maquinário foram inutilizados na operação. 

Ao perceberem a aproximação da polícia, os garimpeiros que estavam no local fugiram. No entanto, documentos foram encontrados no local, que poderão auxiliar a polícia na identificação dos envolvidos, que poderão responder futuramente perante a Justiça.

*Com informações da Assessoria de Comunicação do Ministério Público Federal no Pará.

 

 

 

Operação na Terra Indígena Apyterewa. Foto: Polícia Federal.
Cenário de destruição na Terra Indígena Apyterewa. Foto: MPF.
Máquina encontrada durante a operação. Foto: MPF.

 

 

Leia Também

Mapa indica que Amazônia vive uma epidemia de garimpo ilegal

Operação combate garimpo ilegal no Pará

MPF denuncia 25 proprietários de dragas por mineração ilegal no Amazonas

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Notícias
11 de janeiro de 2018

MPF denuncia 25 proprietários de dragas por mineração ilegal no Amazonas

Decisão do órgão federal se baseou em fiscalização realizada em outubro do ano passado, no rio Madeira, no município de Humaitá. Dragas retiravam ilegalmente ouro da região

Salada Verde
21 de maio de 2018

Operação combate garimpo ilegal no Pará

Ação conjunta entre Polícia Federal, Ibama, ICMBio e Força Aérea Brasileira, na Flona do Crepori e na Terra Indígena Munduruku, resultou em 34 autos de infração

Notícias
13 de dezembro de 2018

Mapa indica que Amazônia vive uma epidemia de garimpo ilegal

Trabalho inédito elaborado pela Rede Amazônica de Informação Socioambiental Georreferenciada (Raisg) mostra a distribuição dessa atividade e os seus impactos socioambientais

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 3

  1. Carlos Magalhães diz:

    Em matéria sobre uma operação exitosa com a participação do IBAMA, nenhuma referencia ao Ministro do Meio Ambiente.

    Mas basta uma touceira de capim pegar fogo na Amazônia, ou um balde de óleo chegar ao litoral, Ricardo Salles é sistematicamente triturado.

    Vão ser parciais assim na Punta del'Este…


    1. Tio Sam diz:

      É deveriam ter agradecido ao ministro por não ter impedido a execução da operação.


    2. Paulo diz:

      Bom dia Carlos.
      Não foi citado o sinistro Salles, porque a ação partiu do MPF.