Salada Verde

Museu do Amanhã debate os 20 anos do vazamento de óleo na Baía de Guanabara

No dia em que o rompimento do duto da Petrobras completa duas décadas, evento debaterá ações para que novas tragédias não aconteçam. Inscrição é gratuita

Sabrina Rodrigues ·
14 de janeiro de 2020 · 1 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
No dia 18 de janeiro de 2000, o rompimento do duto da Petrobras com 1,3 milhão de litros de petróleo resultou num lamaçal de destruição. Foto: Museu do Amanhã/Divulgação.

Há vinte anos, um duto da Petrobras se rompeu e despejou 1,3 milhão de litros de petróleo nas águas da Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro. A mancha se espalhou por 40 quilômetros quadrados. O desastre passou a fazer parte de uma das maiores tragédias socioambientais do Brasil. Para debater o que tem sido feito para evitar novos acidentes, será realizado um encontro no dia 18 de janeiro, às 11h, no Museu do Amanhã, no centro da cidade.

A data marca os 20 anos do acidente. 

O debate terá a presença do ambientalista e secretário Municipal de Planejamento de Niterói, Axel Grael, e do Procurador da República, Renato Machado, que atuou durante 8 anos em ações ligadas à Refinaria de Duque de Caxias (Reduc).   

Derramamento de óleo na Baía de Guanabara é uma constante na história local. Só em 2018, o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) foi acionado 21 vezes para ocorrências de vazamentos de óleo na Baía de Guanabara. Desses casos, 11 estavam relacionados a dutos.

Os interessados em participar do evento poderão se inscrever gratuitamente aqui.

Serviço: Óleo na Guanabara – 20 anos
Quando: 18 de janeiro de 2020.
Onde: Observatório do Amanhã – Praça Mauá, 1 – Centro, Rio de Janeiro.
Horário: 11h às 13h30.
Inscrições: https://museudoamanha.org.br/user/register?destination=palestra-oleo-na-guanabara-20-anos

Leia Também

Baía de Guanabara: vazamento da Petrobras completa 14 anos

Pescadores da Baía de Guanabara pedem ajuda para sair da invisibilidade

A Baía de Guanabara não está morta

 

  • Sabrina Rodrigues

    Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Reportagens
4 de junho de 2017

A Baía de Guanabara não está morta

Documentarista registra a diversidade da vida marinha que resiste, apesar da poluição. Filme será exibido durante Conferência dos Oceanos, na ONU

Reportagens
12 de junho de 2019

Pescadores da Baía de Guanabara pedem ajuda para sair da invisibilidade

Peixes e caranguejos estão se tornando mais escassos nessa região da Baía de Guanabara. Poluição das águas ameaça sobrevivência dos pescadores

Reportagens
18 de fevereiro de 2014

Baía de Guanabara: vazamento da Petrobras completa 14 anos

Incidente contaminou mangues e mudou o cenário da baía, onde pescadores convivem com lixo e óleo. Plano de despoluição do governo vence em 2016.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta