Salada Verde

Mais de 50% dos tubarões e raias do Mediterrâneo estão em risco de extinção

Aproximadamente 40 das 73 espécies de tubarões e raias estão ameaçados. A sobrepesca é o principal motivo para o declínio desses animais

Sabrina Rodrigues ·
6 de dezembro de 2016 · 5 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
O tubarão azul é uma das 11 espécies cujo estado de conservação piorou desde o último levantamento em 2007. Foto: Wikipedia.
O tubarão azul é uma das 11 espécies cujo estado de conservação piorou desde o último levantamento em 2007. Foto: Wikipedia.

Mais de 50 por cento dos tubarões e das raias nativas do mar Mediterrâneo estão correndo alto risco de extinção, anunciou a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, na sigla em inglês) na segunda-feira (5). Para os pesquisadores, a sobrepesca é a principal causa para o declínio desses animais. O uso ilegal de redes de deriva continua de forma intensa e disseminada por todo a mar Mediterrâneo, apesar de ter sido proibido em 2002. Este é provavelmente um dos principais motivos da mortalidade das espécies. Em 2016, especialistas do IUCN realizaram uma avaliação no local e analisaram o estado de 73 espécies de tubarões e raias na região. Eles descobriram que mais de 50 por cento das espécies (22 das 41 espécies de tubarões; 16 das 32 espécies de raias) estão ameaçadas de extinção. O estado de conservação dos tubarões e das raias no Mediterrâneo não apresenta sinais de melhora, advertem os pesquisadores. Na verdade, o estado das 11 espécies incluindo tubarão frade, tubarão branco, tubarão azul e tubarão-martelo piorou para, no mínimo, uma categoria na Lista Vermelha desde o último levantamento, realizado em 2007.

Fonte original: Mongabay

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Salada Verde
23 de julho de 2021

Registro raro mostra uma mamãe onça com seu filhote na Serra do Mar

A cena foi flagrada por um armadilha fotográfica instalada pela equipe do Programa Grandes Mamíferos da Serra do Mar, que monitora a presença de animais como a onça-pintada e a anta na região

Análises
23 de julho de 2021

Termo ‘savanização’ precisa ser revisto nos discursos sobre degradação florestal

Associar a savana à ideia equivocada de que esta seria uma vegetação degradada e pobre favorece o discurso de que não há nada a ser conservado

Notícias
22 de julho de 2021

Ibama fecha acordo com agência japonesa para monitoramento via satélite da Amazônia

Acordo de cooperação foi assinado nesta quinta-feira e terá duração de 5 anos. Expectativa do Ibama é aumentar precisão da detecção de desmatamento na Amazônia

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta