Salada Verde

Ibama e polícia apreendem mais de mil partes de animais no Rio

Os agentes encontraram diversas partes de espécies silvestres e exóticas que eram negociadas em uma rede social por um traficante

Sabrina Rodrigues ·
23 de agosto de 2017 · 4 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente
Inúmeros objetos, como peles de animais, foram apreendidos durante a operação Nigromante. Foto: Luiz Augusto Oliveira/Ibama.
Inúmeros objetos, como peles de animais, foram apreendidos durante a operação Nigromante. Foto: Luiz Augusto Oliveira/Ibama.

 

Uma operação conjunta entre o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama) e a Polícia Civil conseguiu apreender quatro tartarugas, duas cobras e mais de mil partes de animais. A ação em combate ao tráfico de fauna silvestre ocorreu na zona oeste do Rio de Janeiro.

A operação, nomeada Nigromante, baseou-se numa denúncia que levou os agentes dos dois órgãos até a casa de um traficante em Bangu. O criminoso negociava espécies silvestres e exóticas em uma rede social.

Entre os objetos apreendidos estão diversas partes de animais como: peles de jaguatiricas (espécie ameaçada de extinção), couros e “chocalhos” de cobra, asas de corvo e de morcego, crânios de coruja, ossos de águia e de raposa, mandíbulas de crocodilo e de guaxinim, dentes de urso, garras de leão, unhas de preguiça, rabos de esquilo e de lobo, penas de faisão e de papagaio, cascos de tartaruga e de jabuti, répteis, anfíbios e insetos secos, chifres de cervo e de bode montanhês, patas de tatu, máscaras de lobo, e produtos como colar, punhal e uma faca de ossos.

A quantidade de objetos encontrados no local impressionou os participantes da operação.“Trata-se da maior quantidade e diversidade de partes de animais silvestres flagrados com um infrator”, disse o coordenador de Fiscalização do Rio de Janeiro, Geraldo Cunha.

O infrator tem até 15 dias para apresentar a documentação referente aos objetos encontrados ou será autuado por tráfico interestadual e internacional de animais.

A investigação continuará a fim de descobrir se há outros envolvidos no esquema.

*Com informações da Assessoria de Comunicação do Ibama.

Leia Também

Tráfico de animais silvestres: Maldade de estimação

Ibama apreende peles de onças-pintadas em Mato Grosso

Tráfico de animais: onde vivem as feras

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Notícias
16 de janeiro de 2013

Tráfico de animais: onde vivem as feras

Dados mostram que em 5 anos o IBAMA emitiu R$ 630 milhões em multas por crimes contra animais silvestres, mas não recebeu 98% do montante.

Salada Verde
23 de fevereiro de 2015

Ibama apreende peles de onças-pintadas em Mato Grosso

Apreensão foi em uma fazenda próxima da cidade de Apiacás, no interior do estado. Três pessoas foram presas e multadas em 60 mil reais.

Reportagens
12 de maio de 2015

Tráfico de animais silvestres: Maldade de estimação

Transformar um animal silvestre em pet, além de crime, é maldade. Para cada um que ganha um dono, nove morrem na captura ou no transporte.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. Marcello S. Nicola diz:

    Esse tipo de criminoso, que atenta contra o futuro do país, devia ser executado in locl