Reportagens

Uma nova trilha de longo curso cresce dentro do Parque Estadual de Três Picos

Grupo de 100 pessoas inaugurou em julho a nova atração do parque. Unidade de Conservação ganhou uma nova trilha, com 8 quilômetros de extensão.

Marcio Isensee e Sá ·
13 de agosto de 2015 · 6 anos atrás
Um dos mirantes da trilha oferece uma bela vista da cadeia de montanhas do Parque Estadual dos Três Picos. Foto: Márcio Issensee
Um dos mirantes da trilha oferece uma bela vista da cadeia de montanhas do Parque Estadual dos Três Picos. Foto: Marcio Isensee e Sá

A Caminhos da Serra do Mar é uma trilha de longo curso que está tomando forma no estado do Rio de Janeiro. Seu mais novo trecho é o Vale da Revolta – Prata dos Aredes, com 8 km de extensão e o primeiro dentro do Parque Estadual dos Três Picos. Ele se soma aos 68 km de trilha já abertos dentro do Parque Nacional da Serra dos Órgãos.  A inauguração foi em julho, quando um grupo variado com cerca de 100 pessoas completou a caminhada de dificuldade moderada.

A Caminhos da Serra do Mar foi lançada em 2013. Quando estiver completa terá 150 km apenas dentro do Parque Estadual de Três Picos. “É uma trilha que busca usar caminhos já existentes dentro das UCs do mosaico”, diz Sérgio Poyares, gestor do parque, que quer abrir os próximos trechos a cada dois meses.

13082015-caminhos-serra-mar
Clique para interagir com o mapa

Entre os atrativos do parque estão a Floresta do Jacarandá, a Mulher de Pedra, o Vale dos Frades e dos Deuses, Caixa de Fósforos, sem falar no conjunto de montanhas dos Três Picos e Capacete”.

A trilha vai também motivar a gestão integrada do Mosaico da Mata Atlântica Central Fluminense, que envolve unidades de conservação dos três entes federativos (União, Estados e Municípios), como por exemplo o próprio Parque Nacional da Serra dos Órgãos, Três Picos e o Parque Natural Municipal da Taquara.

Para Ricardo Raposo, coordenador da Secretaria Estadual do Ambiente, “Ninguém ama o desconhecido, é preciso conhecer para se amar e preservar, e a trilha ajuda nesse processo de educação. A ocupação do espaço público pelos turistas é certamente melhor do que a presença dos palmiteiros e caçadores”.

As trilhas de longo curso também melhoram a economia local. “Elas envolvem as comunidades do entorno, que acabam criando serviços de hospedagem e alimentação”, diz Leandro Goulart, gestor do Parque Nacional da Serra dos Órgãos.

A caminhada de inauguração é parte do projeto EdUC (Fortalecimento das Ações de Educação Ambiental em Unidades de Conservação do Estado do Rio de Janeiro), coordenado pelo Inea (Instituto Estadual do Ambiente) e produzido pelo Instituto Moleque Mateiro de Educação Ambiental.

19072015-concentracao
19072015-trilha-caminhos
19072015-guias-trilha19072015-caminhantes

 

*Este texto é original do blog Observatório de UCs, republicado em O Eco através de um acordo de conteúdo.observatorio-ucslogo

 

Leia também
ICMBio e Roraima negociam criação de um parque nacional e uma reserva extrativista no estado
Ampliação garantirá sobrevivência do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros
Parque Estadual do Desengano: quarentão e ligado em produzir ciência

 

 

Leia também

Reportagens
2 de agosto de 2015

Parque Estadual do Desengano: quarentão e ligado em produzir ciência

Encontro reúne 170 pessoas em dois dias de evento para debater as pesquisas realizadas ou em andamento dentro da unidade de conservação.

Reportagens
4 de agosto de 2015

Ampliação garantirá sobrevivência do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Começa em agosto consulta pública sobre proposta que triplica área da unidade, para protegê-la das mudanças de uso da terra no seu entorno.

Reportagens
7 de agosto de 2015

ICMBio e Roraima negociam criação de um parque nacional e uma reserva extrativista no estado

A proposta é transformar a APA Baixo Rio Branco em um mosaico de UCs. Entretanto, conflitos políticos atrasam a concretização da idéia.

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 3

  1. “Ninguém ama o desconhecido, é preciso conhecer para se amar e preservar, e a trilha ajuda nesse processo de educação. A ocupação do espaço público pelos turistas é certamente melhor do que a presença dos palmiteiros e caçadores”.

    “As trilhas de longo curso também melhoram a economia local. “Elas envolvem as comunidades do entorno, que acabam criando serviços de hospedagem e alimentação”, diz Leandro Goulart, gestor do Parque Nacional da Serra dos Órgãos.”

    Excelente pensamento. Parabéns!


  2. gabrielly diz:

    qual e a parte mais importante da reportagem ?


    1. alberto diz:

      incentiva a gestão integrada