Reportagens

Risco ao abastecimento em 55% dos municípios

Segundo Atlas da Agência Nacional de Águas será preciso R$ 22 bilhões de investimentos em sistemas de captação e distribuição de água até 2015.

Angela Morelli ·
22 de março de 2011 · 11 anos atrás

Quando se olha para os números globais de distribuição de água, o Brasil aparece como país privilegiado: detém 12% da reserva de água doce do planeta. A aparente abundância esconde problemas sérios de abastecimento hídricos, atuais e futuros, como mostra o Atlas Brasil, estudo da Agência Nacional das Águas (ANA), divulgado hoje, no Dia Mundial da Água.

De acordo com o documento, 55% dos municípios, ou 3.059 do total, precisam de R$ 22 bilhões de investimentos em sistemas de captação e distribuição de água até 2015. Esses municípios correspondem a pelo menos 73% da demanda do país inteiro. Em 2025, serão 139 milhões de habitantes nesses municípios, ou seja, 72% da população brasileira.

Mais de 59% das sedes urbanas do Norte e Nordeste necessitam de investimentos em sistemas de produtores de água. Juntos, Nordeste e Sudeste demandam 74% do total dos investimentos necessários, que equivalem a R$ 16,5 bilhões que seriam destinados a 2.076 municípios.

Essas duas regiões requerem grande volume de investimentos devido ao maior número de aglomerados urbanos e por causa do semiárido, área com maior escassez de água do Brasil. Dos 1.133 municípios que compõem a região, 826 sedes requerem investimentos para ampliar a oferta de água, predominantemente na conexão a sistemas integrados projetados ou com obras em andamento (R$ 3,6 bilhões  para 218 cidades).

Veja os números:

Panorama Regional

Leia também

Salada Verde
27 de setembro de 2021

NDC brasileira é pauta principal na 3 edição Conferência Brasileira de Mudança do Clima

Com transmissão online e gratuita, evento proporciona cinco dias de debates, com a presença de governadores, lideranças indígenas, jovens ativistas e organizações da sociedade civil

Notícias
27 de setembro de 2021

Ibama diz não que lhe cabe avaliar as propostas antiambientais sugeridas pela pasta do Guedes

Em ofício, presidente do Ibama afirmou que as proposições “dizem respeito às ações governamentais (políticas públicas) que não competem ao Ibama”. Sociedade civil pede para que MPF tome providências

Análises
27 de setembro de 2021

A Amazônia no Acre pede socorro

A contribuição do governo do Estado do Acre para a boiada do desmatamento e das queimadas avançar no território acreano. Estado é o terceiro que mais desmatou em agosto

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta