Região norte é a que menos oferece saneamento básico à população

Sabrina Rodrigues
terça-feira, 18 junho 2019 18:00
Somente 38 municípios da região norte têm condições de oferecer saneamento básico adequado à população. Foto: Rafael Seabra.

A região norte é a que menos atende os requisitos necessários de saneamento básico do Brasil, segundo o Ranking da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES) da Universalização do Saneamento, divulgado na segunda-feira (17). Das 27 capitais brasileiras, Porto Velho (RO) fica em último lugar.

Dos 449 municípios da região norte, somente 8,67% ‒ isto é 38 municípios ‒, têm condições de oferecer à população saneamento adequado. A região nordeste é a segunda com menor índice de abrangência de saneamento para a população com apenas 16,61%. As regiões com melhor classificação são sudeste com 66,37%, isto é 1.107 municípios, seguida da região centro-oeste com 27,62%. A região sul é a terceira melhor com 24,77% dos municípios atendem os requisitos de saneamento.

O estudo teve 2017 como ano de referência e avaliou os municípios de acordo com os seguintes indicadores: 1)serviços de abastecimento de água, 2) coleta de esgoto, 3) tratamento de esgoto, 4) coleta de resíduos e 5) destinação adequada de resíduos sólidos.

A pontuação máxima possível é de 500 pontos, atingida quando o município alcança 100% em todos os cinco indicadores. As categorias são: Rumo à universalização (acima de 489 pontos), compromisso com a universalização (de 450 a 489), empenho para a universalização (de 200 a 449,99 pontos) e primeiros passos para a universalização (abaixo de 200 pontos).

A categoria de pontuação mais alta (Rumo à universalização) possui os melhores indicadores em todos os serviços. Somente 10 capitais brasileiras alcançaram esse feito, são elas: Curitiba (PR), Belo Horizonte (MG), Goiânia (GO), São Paulo (SP), Salvador (BA), Vitória (ES), João Pessoa (PB), Palmas (TO), Porto Alegre (RS) e Campo Grande (MS).

Somente 1868 municípios possuem dados sobre saneamento

Só entraram no ranking os municípios que forneceram aos SNIS (Sistema Nacional de Informação sobre Saneamento), do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), as informações para cálculo de cada um indicadores. O MDR é o órgão do poder executivo responsável pela política nacional de saneamento.

Segundo o IBGE, o Brasil possui 5.570 municípios. No estudo da ABES, menos da metade dos municípios brasileiros conseguiram fornecer informações para que fossem avaliados. No total, só foram analisados 1.868 municípios, o restante não apresentou dados para a classificação.

Curitiba, no Paraná, é a capital melhor classificada do ranking, com 499,99 pontos, seguida de Belo Horizonte, com 477,78 e Goiânia, com 477,72 pontos. As cidades de Piracibaba, Rio Claro e São Caetano do Sul, todos em São Paulo, na região sudeste, foram as únicas que atingiram a marca de 500 pontos, segundo o ranking da ABES.

Saiba Mais

Ranking ABES da Universalização do Saneamento 2019

 

Leia Também

ONGs denunciam Brasil à ONU por violar direito à água e ao saneamento

Trinta e cinco milhões de brasileiros não têm acesso a água potável

Menos da metade dos esgotos do país é coletada e tratada, diz ANA

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.