Notícias

Queimadas na Amazônia sofreram aumento de 30% em 2019, afirma INPE

Foram ao todo 89.178 focos, enquanto 2018 totalizou 68.345, segundo dados do Programa Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

Sabrina Rodrigues ·
9 de janeiro de 2020 · 2 anos atrás
Fogo em Altamira, Pará, em agosto de 2019. Foto: Victor Moriyama/Greenpeace.

O ano de 2019 teve um aumento de 30% do número de focos de queimadas na Amazônia em relação a 2018, é o que informa o Instituto NaCional de Pesquisas Espaciais (Inpe) através do Programa Queimadas. O bioma Amazônia registrou, ao todo, 89.178 focos, enquanto o ano anterior totalizou 68.345. É o maior índice desde 2017 que contabilizou 107.439 focos.

2019 não foi um ano caracterizado por extrema seca, mas o desmatamento em conjunto com a ação humana, como o Dia do Fogo, por exemplo, deram as mãos para o aumento das queimadas. Em agosto de 2019, teve início o pico de queimadas do bioma, com 30.901 focos, seguido de setembro com 19.925 focos de queimadas.

 

 

 

Leia Também

Retrospectiva: Aumento do desmatamento fez Amazônia pegar fogo em 2019

“Dia do Fogo” foi promovido por grupo no whatsapp chamado “SERTÃO”

Retrospectiva: Governo tentou desacreditar o INPE

 

 

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Notícias
17 de dezembro de 2019

Retrospectiva: Governo tentou desacreditar o INPE

Presidente e ministros tentaram associar o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) com ONGs e chegaram a apresentar “provas” de que o órgão não é apto para monitorar o desmatamento

Salada Verde
27 de agosto de 2019

“Dia do Fogo” foi promovido por grupo no whatsapp chamado “SERTÃO”

Grileiros, garimpeiros e fazendeiros eram os membros que organizaram o dia e contrataram motoqueiros para espalharem fogo. Governo foi avisado três dias antes das queimadas

Notícias
19 de dezembro de 2019

Retrospectiva: Aumento do desmatamento fez Amazônia pegar fogo em 2019

Impulsionada pelo corte raso, as queimadas aumentaram 31%, em relação a 2018, com 87 mil focos até o dia 08 de dezembro. O ineditismo do ano foi existir campanha pró queimada

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta