Prefeitura do Rio nomeia operador de copiadora para ser chefe de parque

Duda Menegassi
quinta-feira, 10 setembro 2020 22:03
Novo chefe do Parque Natural Municipal dos Dois Irmãos não possui capacitação técnica na área ambiental. Foto: Duda Menegassi/WikiParques

Um operador de máquina copiadora é o novo chefe do Parque Natural Municipal Penhasco Dois Irmãos. A nomeação de Marcos Teixeira de Jesus foi publicada na edição desta quinta-feira (10) do Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro. Outro nomeado foi o engenheiro mecânico Marcelo de Jesus Rodrigues da Nóbrega, que assume a chefia da Área de Proteção Ambiental (APA) da Serra dos Pretos Forros. Procurada por ((o))eco para esclarecer as escolhas, a Prefeitura do Rio justificou que “tratam-se de dois servidores efetivos da Prefeitura com anos de experiência” e que “ambos terão o suporte técnico da gerência de unidades de conservação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente no desempenho de suas funções”.

De acordo com informações enviadas pela própria Prefeitura, Marcos Teixeira é técnico em Eletrotécnica Industrial de formação e servidor há 36 anos. “Atuou como chefe de almoxarifado e programador das escalas de serviços das equipes da Companhia Municipal de Energia e Iluminação Rio Luz. Foi cedido para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente para desempenhar as funções de gestor do Parque Natural Municipal Dois Irmãos”, esclarece a prefeitura, sem justificar o motivo da escolha não técnica para o cargo de gerência.

Já Marcelo de Jesus, o novo chefe da APA, está na Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMAC) desde 2008. “Tem graduação em engenharia e matemática, possui diversas especializações inclusive em Meio Ambiente, mestrado, doutorado e até pós doutorado”, detalha a resposta da prefeitura, informações confirmadas no perfil dele na plataforma Escavador, que informa que Marcelo é Pós-Doutor Sênior em Engenharia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro e possui especializações na área de licenciamento ambiental e Engenharia de Meio Ambiente.

As nomeações publicadas nesta quinta (10/09) no Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro/Reprodução

A prefeitura não respondeu o questionamento sobre o atual quadro de servidores da área ambiental.

“Mesmo com um quadro reduzido de servidores da SMAC, você tem muitos servidores qualificados da área ambiental, sejam biólogos, engenheiros florestais, geógrafos… Esses sim têm conhecimento geral da biodiversidade. Porque a Unidade de Conservação é um espaço para proteção da biodiversidade. Você tem que conhecer os pesquisadores, as espécies ameaçadas, as espécies exóticas, entender a importância da biodiversidade para comunidade do entorno. Essas questões são prioritárias para que um gestor faça um bom trabalho”, aponta o biólogo carioca Izar Aximoff.

“Você ter um engenheiro mecânico ou um técnico da área de copiador, é surreal isso. Isso reflete a importância que é dada para biodiversidade”, acrescenta. O biólogo acredita que os Conselhos profissionais da área ambiental deveriam se manifestar sobre as nomeações. “É complicado você aceitar uma pessoa que foi colocada ali não por méritos. Embora o quadro seja reduzido, de fato faltam servidores na SMAC, isso não seria uma desculpa para colocar uma pessoa lá de paraquedas, que não é da área ambiental”.

APA Serra dos Pretos Forros

A Área de Proteção Ambiental (APA) da Serra dos Pretos Forros foi criada em 2000 (Decreto nº 19.145), possui 2.726 hectares e está localizada no bairro de Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Em 2018, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro obteve decisão contra o município por negligência na preservação da área. Na época, foram feitas denúncias ao MPRJ sobre focos de desmatamento e ocupações irregulares na unidade de conservação.

Esse será o quinto chefe nomeado para APA em apenas 4 anos, desde o início do mandato de Marcelo Crivella na prefeitura do Rio. O último, o engenheiro florestal Luiz Octavio de Lima Pedreira foi quem mais durou na posição e estava no cargo desde novembro de 2018.

Parque Natural Municipal Penhasco Dois Irmãos

o parque municipal está localizado no Leblon, Zona Sul da cidade, e foi criado em 1992 (Decreto nº 11.850) para proteger o morro dos Dois Irmãos. A unidade de conservação possui 39 hectares. O novo gestor, Marcos Teixeira, entra no lugar da professora Rosana Maia Junqueira, que estava no cargo desde julho de 2019.

Leia também

O manejo dos planos de manejo – um estudo de caso

Galeria: As belezas da Floresta do Camboatá vista do alto

‘Podíamos ter plantado o triplo’, afirma dono de viveiro de mudas sobre meta olímpica de 2016

1 comentário em “Prefeitura do Rio nomeia operador de copiadora para ser chefe de parque”

  1. Meu nome é Frederico Moraes sou biólogo aposentado da smac .Fui técnico da smac .Fui gestor da apa de do parque da serra da capoeira grande em Guaratiba e posteriormente de apas das brisas e da orla de sepetiba. Fui também.gerente das unidades de conservacao quando criamos a resolução referente às atribuições do gestor de unidades de conservacao.Quando gerente a UFRJ ofertou bolsas gratuitas aos nossos gestores em cursos de especialização pois muitos não eram.da área ambiental .Lamentável a atual gestão das unidades de conservacao da smac.

    Responder

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.