Notícias

MP quer que TCU apure atuação do governo na área ambiental

Lucas Furtado entrou na segunda-feira (21) com representação no Tribunal de Contas da União para que corte adote providências sobre políticas públicas

Sabrina Rodrigues ·
22 de maio de 2019 · 2 anos atrás
O Tribunal de Contas da União já recebeu a representação do subprocurador-geral Lucas Furtado. Foto: Wikipedia.

O subprocurador-geral Lucas Furtado, do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União, entrou na segunda-feira (21) com uma representação  para que o TCU adote providências para apurar o andamento de políticas públicas e programas do governo voltados para a preservação do meio ambiente.

Ao longo das sete páginas que compõem a queixa, o subprocurador elenca aquilo que descreve como “possível ineficiência e deficiente fiscalização dos órgãos públicos que têm por atribuição zelar pela regular e eficiente aplicação dos recursos da sociedade na proteção desse bem comum constitucionalmente protegido”.

Primeiro, Furtado destaca a notícia do dia 15 de maio de que cinquenta organizações não governamentais ligadas ao meio ambiente e mais oito ex-ministros da pasta assinaram texto alertando sobre os erros do governo na área e encaminharam representação à Procuradoria-Geral da República, manifestando preocupação sobre a forma como a política ambiental está sendo conduzida.

O aumento do desmatamento entre os meses de agosto de 2018 e março de 2019 para 24% na Amazônia Legal foram ressaltados pelo subprocurador, que associou o aumento do desmate ao declínio na efetividade da fiscalização dos órgãos ambientais.

Furtado também demonstrou preocupação com os 166 novos agrotóxicos liberados entre janeiro e abril deste ano e manifestou receio de que este número aumente, já que outros 365 pedidos de registro teriam sido acatados, elevando a marca de 531 novos pesticidas.

Fundo Amazônia

Em toda a representação, o subprocurador chama o Tribunal de Contas da União a exercer o seu papel de fiscalizador da gestão dos órgãos públicos não só quanto ao enfoque operacional, mas também na avaliação dos recursos públicos federais na área ambiental.

Ao falar sobre o Fundo Amazônia, Furtado citou as declarações dadas pelo ministro Ricardo Salles, na sexta-feira (17), sobre a existência de possíveis irregularidades na aplicação de recursos do fundo, embora o ministro não tenha apresentado os contratos, nem os contratados, tampouco informou como foi realizada a análise e quem foi responsável pelo trabalho de verificação.

Para o subprocurador-geral, as declarações de Ricardo Salles confrontam os resultados das ações fiscalizadoras do TCU, uma vez que o tribunal de contas já expressou como satisfatória a execução do programa. “Dessa forma, as afirmações emanadas do Ministério do Meio Ambiente, que colocam em dúvida a regularidade dos contratos executados com os recursos do fundo, em contradição com o quadro avaliado pelo TCU, podem comprometer o aporte dos recursos de doação, com possível prejuízo no ingresso de valores destinados à proteção da floresta amazônica”, afirma o subprocurador na representação.

Lucas Furtado, com a representação, espera que o TCU adote medidas para defender e preservar o meio ambiente. “O TCU não pode se furtar ao enfrentamento da questão preocupante que vem sendo noticiada pela mídia, ao revelar o estado de comprometimento da adequada gestão das políticas voltadas à proteção do meio ambiente”, declara o subprocurador-geral.  

O TCU já recebeu a representação do subprocurador-Geral, mas não tem data para analisar o pedido.

Saiba Mais

Representação Meio Ambiente

 

Leia Também

Desmatamento cai em março, mas acumulado do ano ainda é de alta

Embaixada da Alemanha e entidades ambientais contradizem declarações de Salles sobre Fundo Amazônia

Brasil registra mais de um agrotóxico por dia em 2019

 

 

  • Sabrina Rodrigues

    Repórter especializada na cobertura diária de política ambiental. Escreveu para o site ((o)) eco de 2015 a 2020.

Leia também

Reportagens
7 de abril de 2019

Brasil registra mais de um agrotóxico por dia em 2019

Foram 121 novos registros em 3 meses de governo e maioria dos produtos são antigos. 41% dos agrotóxicos registrados são extremamente ou altamente tóxicos

Reportagens
17 de maio de 2019

Embaixada da Alemanha e entidades ambientais contradizem declarações de Salles sobre Fundo Amazônia

Em coletiva, ministro do Meio Ambiente afirmou que há irregularidades em contratos do Fundo Amazônia. Auditoria foi feita pelo MMA sem apoio da Controladoria-Geral da União

Notícias
26 de abril de 2019

Desmatamento cai em março, mas acumulado do ano ainda é de alta

Dados do Boletim do Desmatamento do Imazon apresenta queda de 77% do desmatamento em março. No acumulado do ano, tendência contínua para cima

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 4

  1. Avelino diz:

    Esse José é um fanático, questionou as ongs já fica com o oritimbó piscando pra comentar.


    1. José diz:

      Cada um (sempre) fala por si, Avelino.


  2. Carlos Magalhães diz:

    Fundo Amazônia: R$ 800 milhões para 60 ONG's.

    Vamos ver o que diz o TCU.


  3. Roberto diz:

    Boa noite pro procurador que acabou de acordar da hibernação.