Notícias

Iniciativa lança plataforma que prevê áreas sob maior risco de desmatamento na Amazônia

Através do uso de inteligência artificial, a plataforma PrevisIA fornecerá dados, abertos ao público, para indicar quais as áreas mais ameaçadas da Floresta Amazônica

Duda Menegassi ·
4 de agosto de 2021

Foi lançada nesta quarta-feira (04), a plataforma PrevisIA, que usa a inteligência artificial para prever quais são as áreas sob maior risco de desmatamento na Amazônia. Em 2021, por exemplo, a plataforma aponta que 9.635 km² de floresta estão ameaçados, sendo quase um terço dela sob risco alto ou muito alto. A iniciativa é um esforço conjunto entre o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) e a Microsoft, com financiamento do Fundo Vale, e tem como objetivo assessorar órgãos públicos no planejamento e execução de ações preventivas de combate e controle do desmatamento. Qualquer um, entretanto, pode acessar a plataforma, que é aberta ao público e apresenta os dados em português e inglês.

Para analisar e prever as áreas mais ameaçadas pela sombra do desmatamento, a PrevisIA avalia diversas variáveis como estradas legais e ilegais, topografia, cobertura do solo, infraestrutura urbana e dados socioeconômicos. Para realizar essa análise, a ferramenta conta um algoritmo de IA e com um modelo de risco desenvolvidos pelo Imazon e com recursos avançados de nuvem de computadores do Microsoft Azure.

A plataforma também fornece o ranking entre os estados – atualmente liderado pelo Pará – e municípios com maior risco de terem suas florestas destruídas, e indica a área total e o número de municípios, unidades de conservação, terras indígenas, territórios quilombolas e assentamentos rurais na mira do desmatamento na Amazônia. Entre os dados informados pela PrevisIA, por exemplo, estão que 48 Terras Indígenas e 18 unidades de conservação possuem áreas sob risco “alto ou muito alto” de desmatamento.

A plataforma PrevisIA mostra, em cores no mapa, as áreas que concentram os maiores riscos de desmatamento na Amazônia Legal. Imagem: Reprodução

“O grande avanço desse projeto foi democratizar o acesso a recursos avançados de Tecnologia da Informação para facilitar o engajamento de diversos usuários na prevenção e no controle do desmatamento da Amazônia”, afirma Carlos Souza Jr, pesquisador associado do Imazon, que apresentou o lançamento da plataforma nesta quarta, ao lado do vice-presidente corporativo da Microsoft, Rodrigo Kede, da presidente da Microsoft Brasil, Tânia Cosentino, e do diretor de Investimento e Desenvolvimento Social da Vale, Hugo Barreto.

“Na Microsoft, acreditamos que a Inteligência Artificial pode auxiliar a resolver desafios do planeta e da sociedade. A preservação do meio ambiente, sem dúvida, é um desses desafios. Como parte do nosso compromisso com a biodiversidade, assumimos a responsabilidade pela nossa pegada na Terra e, há alguns anos, lançamos o programa AI for Good, onde disponibilizamos US$165 milhões, durante o período de cinco anos, para fornecer financiamento, tecnologia e especialização para indivíduos e ONGs. As iniciativas desse projeto são divididas em cinco pilares, um deles é o AI for Earth, que, entre as ações apoiadas no Brasil, consta a parceria com o Fundo Vale e o Imazon”, destaca a presidente da Microsoft Brasil.

Acesse aqui a plataforma PrevisIA.

  • Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação e montanhismo. Escreve para ((o))eco desde 2012. Autora do livr...

Leia também

Notícias
27 de julho de 2021

Auditoria do TCU aponta erros do governo federal no combate ao desmatamento na Amazônia

O Ministério do Meio Ambiente terá 120 dias para apresentar um plano de ação com cronograma e medidas que corrijam as falhas apontadas pelo TCU, como a asfixia do Ibama por falta de fiscais

Notícias
22 de julho de 2021

Ibama fecha acordo com agência japonesa para monitoramento via satélite da Amazônia

Acordo de cooperação foi assinado nesta quinta-feira e terá duração de 5 anos. Expectativa do Ibama é aumentar precisão da detecção de desmatamento na Amazônia

Notícias
9 de julho de 2021

INPE registra pela quarta vez consecutiva recorde de desmatamento na Amazônia

Os alertas de desmatamento na Amazônia registraram 1.062 km² no mês de junho, a maior marca para o período desde 2016, quando teve início o projeto Deter-B, do INPE

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta