Download PDF

O dia foi marcado por protestos em várias unidades de conservação do país como parte do movimento contra o loteamento político do ICMBio. Acima, servidores protestam no Corcovado. Foto: Divulgação.

Servidores do Instituto Chico Mendes para a Conservação da Biodiversidade (ICMBio) protestaram nesta sexta-feira (25) contra a indicação de um político ligado ao PROS para o comando da autarquia que cuida dos parques, reservas, estações ecológicas e outras áreas protegidas federais do país.

A mobilização se alastrou na quinta-feira (24) após reunião realizada entre o indicado, Cairo Tavares, e diretores da autarquia na sede do instituto. Esta é a segunda tentativa do partido de indicar um político para ocupar a presidência do órgão, desde a saída do oceanógrafo Ricardo Soavinski, no final de abril.

Natural de Valparaíso de Goiás, Cairo Tavares é bacharel em ciência política pela Centro Universitário do Distrito Federal (UDF), curso concluído em 2010. Tem 31 anos e é Secretário Nacional de Formação Política do PROS. Não há no seu currículo qualquer menção sobre algum trabalho ou experiência na área ambiental.

Nesta sexta-feira (25), houve manifestação na sede dos parques nacionais de Brasília, Tijuca, Itatiaia, Serra dos Órgãos, Bocaina, Iguaçu e até Fernando de Noronha.

No Ministério do Meio Ambiente, servidores foram recebidos pelo Secretário Executivo em exercício, Romeu Mendes, que informou que a indicação de Tavares foi uma “imposição de cima”. Segundo relatos de servidores que estavam na reunião, o Ministério queria indicar o engenheiro florestal Paulo Carneiro, atual diretor de Criação e Manejo de Unidades de Conservação do ICMBio, para assumir a vaga.

Veja a galeria

Associação de manifesta

A Associação Nacional dos Servidores Ambientais (ASCEMA) divulgou nota contra a indicação. Leia Abaixo:

Carta Aberta à Sociedade

Como você reagiria se para a presidência do Banco Central fosse nomeado um indicado político partidário sem NENHUMA experiência em economia? Ou se para técnico da seleção brasileira de futebol, fosse indicado um jovem político que nada entende sobre o assunto?

Pois foi assim, com total assombro, surpresa e revolta que fomos surpreendidos hoje com a indicação de um nome meramente político partidário, sem NENHUMA formação profissional ou qualquer experiência sobre meio ambiente para a presidência do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio.

Após a entrega partidária de algumas Coordenações Regionais e chefias de Unidades de Conservação do Instituto Chico Mendes, desta vez o Governo Federal pretende  nomear para a presidência do ICMBio um apadrinhado político, o senhor Cairo Tavares de Souza, pertencente ao PROS, para a presidência do ICMBio.

O  indicado a presidente do Instituto  é diretor da Fundação Ordem Social, ligada ao PROS e sócio de uma empresa de comércio varejista de bebidas em Valparaíso de Goiás. Inacreditavelmente não consta que tenha QUALQUER experiência em gestão socioambiental.

O ICMBio é responsável pela gestão de 333 Unidades de Conservação que correspondem  a 9% do território continental e 24% do território marinho, bem como a coordenação e implementação de estratégias para as espécies ameaçadas de extinção. Uma missão como esta não pode ser entregue a dirigentes sem experiência na área socioambiental, por mera conveniência partidária.

O Instituto Chico Mendes tem em seus quadros profissionais concursados, capacitados, qualificados, que vem atuando de forma comprometida, sempre dentro da legalidade, garantindo uma gestão transparente, ética, e voltada à execução da política ambiental pública e aos direitos garantidos na Constituição, de manutenção do equilíbrio ecológico do meio ambiente, bem de uso comum do povo, dentro de suas atribuições. Desde sua criação, sempre foi presidido por profissionais com experiência na área socioambiental, imbuídos da missão institucional do órgão que trouxeram grandes conquistas na sua capacidade de atuação , como poder executivo, na implementação da legislação ambiental vigente. Em um contexto de imensa fragilidade das políticas públicas, a possibilidade da nomeação do Sr. Cairo Tavares coloca em risco o bom desempenho da missão institucional do ICMBio.

Diante do exposto, os servidores do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade repudiam veementemente a possibilidade de nomeação do Sr. Cairo Tavares como Presidente deste Instituto,  ou de qualquer outra nomeação baseada em interesses políticos partidários contrários ao interesse público e à missão do ICMBio.

Chamamos a sociedade civil a se unir a esta luta, em prol da proteção do patrimônio natural e promoção do desenvolvimento socioambiental. Não passarão! #Nãoaoretrocessoambiental!

ASCEMA NACIONAL

 

Leia Também 

PROS assumirá ICMBio com nome sem ligação ao meio ambiente

Vice-presidente do PROS é cotado para ser presidente do ICMBio

Loteamento político na Reserva do Tinguá gera mal estar entre servidores