Notícias

Diretor de Proteção Ambiental do Ibama é exonerado

Queda de Olivaldi Azevedo ocorre dois dias depois de reportagem mostrar operação do Ibama de combate ao garimpo ilegal em terras indígenas. MMA não justifica remoção

Duda Menegassi ·
14 de abril de 2020 · 1 anos atrás
Foto: Geraldo Magela/Agência Senado.

O Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, exonerou nesta terça-feira (14) o Diretor de Proteção Ambiental do Instituto Brasileiro de Recursos Renováveis (Ibama), Olivaldi Azevedo. A queda de Olivaldi ocorre dois dias após a veiculação de uma reportagem produzida pelo Fantástico (Rede Globo) que acompanhou uma operação de fiscalização do Ibama em Terras Indígenas no sul do Pará para combater o garimpo ilegal e impedir a transmissão da COVID-19 para os indígenas. 

A exoneração foi publicada na edição desta terça-feira no Diário Oficial da União.

Os rumores que circulam pelos corredores do Ibama é de que a exoneração teria sido feita como retaliação de Salles, que não teria aprovado a reportagem, ou melhor, não teria aprovado a própria operação de fiscalização. ((o))eco entrou em contato com dois servidores do Ibama que pediram para não serem identificados e ambos confirmaram a especulação interna e ainda acrescentaram: “os próximos na lista são o Hugo e o Renê”, se referindo ao coordenador de operações de fiscalização do Ibama, Hugo Loss, um dos entrevistados na reportagem do Fantástico; e ao coordenador-geral de fiscalização ambiental, Renê Luiz de Oliveira.

A megaoperação do Ibama ocorreu nas Terras Indígenas Araweté (dos povos Araweté e isolados do Igarapé Bom Jardim), Trincheira Bacajá (dos Mebêngôkre Kayapó e Xikrin) e Apyterewa (do povo Parakanã) e a matéria do Fantástico uniu dois assuntos sensíveis ao governo: o garimpo em Terras Indígenas, que o presidente Jair Bolsonaro luta para liberar – em fevereiro deste ano o executivo encaminhou um Projeto de Lei (PL 191/2020)  para regulamentar a exploração da mineração e outras atividades em Terras Indígenas – e a TV Globo, veículo publicamente atacado por Bolsonaro.

O Ministério do Meio Ambiente não justificou oficialmente a exoneração e ainda não apontou quem ocupará o cargo no lugar de Olivaldi. Um dos nomes que surgiram na ‘rádio corredor’ seria o de Luis Carlos Hiromi Nagao, atual Diretor de Planejamento Administração e Logística do Ibama. 

 

Reprodução: DOU.

 

Leia Também 

Bolsonaro assina projeto que regulamenta mineração em Terras Indígenas

Governo se reúne com garimpeiros e acena regularizar áreas de garimpo

Ibama exonera fiscal que multou Bolsonaro por pesca em área protegida

 

  • Duda Menegassi

    Duda Menegassi

    Jornalista ambiental especializada em unidades de conservação e montanhismo. Escreve para ((o))eco desde 2012. Autora do livr...

Leia também

Notícias
28 de março de 2019

Ibama exonera fiscal que multou Bolsonaro por pesca em área protegida

Após elaborar um laudo em que afirma que a infração do presidente  prescreveu, órgão exonera servidor que multou o então deputado de cargo comissionado  

Notícias
17 de setembro de 2019

Governo se reúne com garimpeiros e acena regularizar áreas de garimpo

Após reunião dos garimpeiros com os ministros Onyx Lorenzoni e Ricardo Salles, em Brasília, representantes garantem que governo mudará decreto que permite queima de maquinário 

Notícias
5 de fevereiro de 2020

Bolsonaro assina projeto que regulamenta mineração em Terras Indígenas

Em cerimônia, presidente disse que, se pudesse, ‘confinaria os ambientalistas na Amazônia’. Projeto de Lei será enviado ao Congresso

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 4

  1. AvatarMarina's crew diz:

    Em tempo, por onde anda o Montiel?


  2. AvatarPaulo diz:

    Bom dia.
    Cadê a Funai e a Polícia Federal. São crimes federais.
    Ministro Moro, cadê você.


    1. Avatarcelso diz:

      Moro tomou juízo e foi embora.