Brigada permanente, resgate de fauna e combate às chama: Saiba como ajudar o Pantanal

Duda Menegassi
segunda-feira, 21 setembro 2020 20:18
Incêndios no Pantanal mobilizam a solidariedade das pessoas. Foto: Ernani Júnior/Instituto Homem Pantaneiro

O Brasil e o mundo assistem a marcha inclemente das chamas que se alastram pelo Pantanal. Diante de imagens chocantes de destruição e de animais machucados, a maioria se pergunta sobre o que é possível fazer para contribuir de alguma forma com quem está lá, lutando em meio ao fogo para salvar o que for possível da maior planície alagável do planeta. Além de doações tanto financeiras, quanto de alimentos e medicamentos para os bichos, para ajudar a minimizar os danos atuais, o Instituto Homem Pantaneiro iniciou um projeto para criar uma brigada permanente no bioma para tentar evitar que tragédias como a que o país presencia esse ano se repitam no futuro.

A brigada proposta será formada por 14 brigadistas que atuarão na região Alto Pantanal e serão divididos em dois núcleos principais: na Serra do Amolar e em Porto Jofre, onde estão respectivamente as bases do Instituto Homem Pantaneiro (IHP) e do ONG Panthera Brasil. Serão contratados brigadistas já treinados pelo PrevFogo em anos anteriores e que terão como objetivo não apenas o combate, mas principalmente a prevenção. A ideia é que eles trabalhem no ano inteiro, não apenas na seca.

Os contratos de brigadistas do Ibama são temporários e normalmente só começam a partir de abril. Este ano, por um atraso do governo federal, o edital de contratações das brigadas do PrevFogo foi lançado apenas no final de junho.

“Desde fevereiro nós estamos lidando com fogo [no Pantanal]. A ideia da criação da brigada nasce nesse contexto onde existe a necessidade de uma ação complementar preenchendo essa lacuna temporal que é justamente quando o Estado não está presente. Aceiros, o Manejo Integrado do Fogo… você já vai fazendo isso. Ações preventivas e de combate direto. O ideal sempre é que assim que o fogo apareça você faça esse pronto atendimento. Além de equipamento, a ideia é termos uma capacidade que vai nos permitir fazer o primeiro confronto, que é determinante para a propagação ou extinção desse fogo”, explica ao ((o))eco Angelo Rabelo, o Diretor de Relações Institucionais do Instituto.

“Nosso esforço maior é na região da Serra do Amolar, onde a gente tem um conjunto de reservas. São quase 300 mil hectares de áreas, sendo que o coração desse nosso trabalho é o Parque Nacional do Pantanal Matogrossense e o Parque Estadual Encontro das Águas”, acrescenta Rabelo. Essas são áreas prioritárias para ocorrência da onça-pintada (Panthera onca).

Além do combate e da prevenção aos incêndios, a campanha de financiamento prevê que 20% dos recursos serão destinados para reabilitação da fauna, sendo 10% para construção de um ambulatório veterinário na Serra do Amolar e os outros 10% para ampliação do ambulatório da ONG Ampara Silvestre, que atualmente já presta primeiros socorros a animais vítimas das queimadas na região da Transpantaneira e do município de Porto Jofre.
Mais de 900 pessoas já apoiaram a campanha de financiamento coletivo, que está aberta até o final de outubro desde ano. Acesse a campanha neste link para mais informações.

Outras formas de ajudar

Diversas organizações e entidades que atuam no Pantanal têm recebido ajuda, tanto de voluntários quanto de recursos, aqui, organizamos uma lista com as principais iniciativas com as quais você pode colaborar mesmo de longe:

Ampara Silvestre
A instituição atua no resgate e reabilitação de animais atingidos pelo fogo no Pantanal. Para ajudar a financiar os gastos com medicação, equipamentos de resgate e uso veterinário, gasolina e veículos, e a alimentação dos animais, a ONG iniciou uma campanha de doações, disponível neste link.

SOS Pantanal
O Instituto Socioambiental da Bacia do Alto Paraguai SOS Pantanal atua na região desde 2009 e tem apoiado tanto as ações de combate ao fogo e os brigadistas quanto as de alimentação e de resgate dos animais sobreviventes. Para ajudar a organização, acesse o link.

Instituto Arara Azul
A organização trabalha na conservação da arara-azul. O maior santuário da espécie está localizado no Mato Grosso, dentro do Pantanal, numa das áreas mais fortemente atingidas pelo fogo. A ONG está arrecadando doações para ajudar a proteger os dormitórios da arara-azul e também para o trabalho pós-fogo, como a compra de novos ninhos artificiais perdidos no incêndio. Acesse a página do Instituto para saber como ajudar.

Ecoa
A ONG atua no suporte e na formação das brigadas voluntárias no Pantanal e tem recebido doações para financiar a compra de equipamentos e as operações de logística no combate aos incêndios. Para apoiar a organização basta acessar este link.

Fundação Ecotrópica
A organização voltada para conservação ambiental deu início a uma campanha de arrecadação para instalar baldes de água enterrados e ilhas de alimentos ao longo da Transpantaneira para garantir pontos de alimentação e hidratação, no curto prazo, para os animais que sobreviveram ao fogo. Para apoiar a iniciativa, acesse a campanha neste link.

Pantanal Relief Fund
O fundo de emergência para o Pantanal é uma das iniciativas que têm financiado diretamente as ações da Panthera Brasil, no resgate e tratamento de animais, em especial dos felinos. O fundo é uma campanha voltada para o público internacional que deseja ajudar quem está na linha de frente no Pantanal, mas qualquer um pode ajudar, basta acessar a página aqui.

Leia também

Organizações pedem que Judiciário aja em defesa do Pantanal 

Atraso do governo em contratar brigadistas pode piorar cenário de queimadas em 2020

Fogo no Pantanal ameaça um dos maiores santuários da arara-azul

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.