Notícias

As belezas do Velho Chico vistas do espaço

Com 2.863 km, o São Francisco é um dos mais importantes rios do Brasil. Mas sua principal nascente, Localizada no Parque Nacional da Serra da Canastra, está seca.

Paulo André Vieira ·
6 de outubro de 2014 · 7 anos atrás

Deu no Jornal Nacional: a principal nascente do Rio São Francisco está seca. Localizada no Parque Nacional da Serra da Canastra, a falta de água por lá pode não afetar o resto do rio, já que muitos outros tributários ajudam a mantê-lo, mas é simbólica quando se trata do futuro do Velho Chico. Peixes, flores e aves, o Rio São Francisco de hoje em dia é muito distante do que foi no passado.

“Era surubim, dourado, curimatá. Eram peixes grandes, peixe de 10 kg, até de 20 kg a gente já pegou. Hoje em dia isso não tem mais”, conta Florisvaldo, morador de Manga, MG, em reportagem publicada em ((o))eco em 2013.

Já o pesquisador José Alves de Siqueira Filho, organizador do livro Flora das Caatingas do Rio São Francisco – História natural e conservação, compara a abertura dos canais que levarão as águas do Velho Chico para os rios da Paraíba e do Ceará com feridas no ecossistema feitas por tratores e escavadeiras. “Com olhos de biólogo da conservação, posso afirmar que, muito do que vi, foi chocante”, diz Siqueira em outra reportagem de ((o))eco, esta de 2012. O corte exposto dos canais abre espaço para organismos oportunistas. A invasão biológica é a segunda maior ameaça à biodiversidade, perdendo só para a destruição de habitats provocada pelo homem.

Marcos Sá Corrêa já alertava em 2008 para um relatório sobre a mortandade de aves no Rio São Francisco. Mais de 250 aves mortas na borda da represa de Sobradinho. Irerês, garças, pombas, jaçanãs, paturis, biguás, quero-queros, dezesseis espécies diferentes, prováveis vítimas de pelo menos seis tipos de venenos agrícolas, como Folidol, Folisuper ou Karate, apontados no relatório como suspeitos.

Com 2.863 km, o São Francisco é um dos mais importantes rios do Brasil e da América do Sul. Selecionamos abaixo algumas imagens de satélite do rio, desde sua nascente na Serra da Canastra até sua foz em Piaçabuçu, AL. Metade das fotos retratam o dedo do homem e de suas barragens. Veja também algumas fotos panorâmicas das belezas do rio. Que elas não se transformem um dia nas últimas lembranças do Velho Xico.

Um panorama do Parque Nacional da Serra da Canastra.

A Cachoeira Casca d’Anta é a maior queda do rio São Francisco

O rio São Francisco ainda no interior do Parque Nacional da Serra da Canastra

A Cachoeira Casca D’Anta tem 186 metros de queda d’água.

As margens do Velho Chico em Abaeté, MG.

Canindé de São Francisco, Sergipe, Brazil

 

Leia também
Rio São Francisco: os peixes se foram
Uma nova visão das Caatingas do São Francisco
O São Francisco manda recado

 

  • Paulo André Vieira

    Produtor Editorial formado pela UFRJ, atua em ((o))eco desde 2007 escrevendo sobre geojornalismo e cuidando da edição e gestão do site.

Leia também

Análises
2 de agosto de 2021

Trilhas sobre Trilhos: a Trilha Verde da Maria Fumaça como iniciativa de transformação no Brasil

Localizada entre a Serra do Espinhaço e o sertão mineiro, a trilha ferroviária une história e natureza ao longo do percurso de cerca de 100 quilômetros

Salada Verde
2 de agosto de 2021

Por meio da arte, festival online traz diálogos sobre práticas de conservação do rio

Do dia 2 a 10 de agosto, o Seres-Rios Festival Fluvial realiza exposição de artes visuais e mostra de cinema, além de debate com encontro inédito entre Ailton Krenak e Marisol de La Cadena

Reportagens
2 de agosto de 2021

Sem manejo adequado, incêndios em áreas naturais devem se intensificar nos próximos meses, alerta estudo

Para evitar tragédias como a que ocorreu no Pantanal em 2020, quando quase 30% do bioma foi queimado, pesquisadores alertam para a necessidade de um manejo adequado das áreas mais propícias ao fogo no país

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta