Fotografia

Um monte entre as nuvens

Na fronteira entre Brasil, Venezuela e Guiana, o Monte Roraima se ergue sobre as nuvens como um santuário para a biodiversidade.

Redação ((o))eco ·
27 de maio de 2014 · 7 anos atrás

O platô do Monte Roraima apresenta um ambiente totalmente diferente da floresta tropical e da savana que se estendem na sua base. Separado da base por falésias de até 1.000 metros de altura, o topo do monte apresenta um clima diferenciado: temperatura média varia entre 10ºC durante o dia e 2ºC à noite, alta nebulosidade, fortes ventos e chuvas frequentes que tornam o ar bastante úmido (entre 75 e 85% de umidade relativa). Assim, tanto a flora quanto a fauna se adaptaram a condições climáticas e geológicas únicas, o que resulta em um alto de grau de endemismo, isto é, em espécies que somente podem ser encontradas neste ambiente. Isto se observa, por exemplo, nas diversas espécies de plantas carnívoras – que retiram dos insetos capturados os nutrientes que faltam no solo – e também no grande número de répteis e anfíbios que, devido à pouca mobilidade em relação às outras espécies animais, são específicos daquele local.

 

 

Veja também
Espelho do Céu

 

 

 

Leia também

Notícias
6 de maio de 2021

Organizações pressionam contra decisão de reduzir UCs em Rondônia

Projeto de lei que remove mais de 200 mil hectares de duas unidades de conservação em Rondônia está na mesa do governador para sanção

Notícias
5 de maio de 2021

Salles mente sobre orçamento e Fundo Amazônia em audiência na Câmara

Ministro espalhou desinformação sobre reserva legal e voltou a associar desmatamento à pobreza

Notícias
5 de maio de 2021

Parque no Rio é batizado em homenagem ao ambientalista Alfredo Sirkis

O ambientalista, que faleceu em julho de 2020, foi um dos responsáveis pela criação do Parque Natural do Penhasco Dois Irmãos, que agora passa a ter seu nome

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta