Fotografia

A mais incrível imagem do nosso planeta

A primeira imagem de nosso planeta foi feita em preto e branco. A última é a mais incrível imagem em alta definição da Terra que existe.

Paulo André Vieira ·
21 de fevereiro de 2012 · 10 anos atrás

A Terra não parecia azul na primeira foto que a NASA, a agência espacial norte-americana, fez de nosso planeta em 1960. As imagens do satélite TIROS eram feitas em preto e branco. Foi no dia 7 de dezembro de 1972, a uma distância de aproximadamente 45.000 km, que a tripulação da Apollo 17 tirou uma das mais famosas e reproduzidas fotografias de todos os tempos: a Blue Marble. No meio da foto, o continente africano entre os oceanos atlântico e índico. No cantinho superior esquerdo podia ser visto um tufão, que dias antes havia alagado o estado indiano de Tamil Nadu. Como o planeta não leva em consideração mapas geopolíticos, do ponto de vista dos astronautas o continente antártico estava originalmente no alta da imagem, mas antes de ser divulgada para o público foi girada para a posição mais tradicional que conhecemos hoje.

A Blue Marble original de 1972. Na esquerda a imagem divulgada para o público, e na direita como ela foi tirada originalmente.
A Blue Marble original de 1972. Na esquerda a imagem divulgada para o público, e na direita como ela foi tirada originalmente.
Em 2002 a NASA divulgou uma nova versão da Blue Marble. Desta vez não foi tirada por um ser humano, mas sim costurada a partir de várias fotos de satélite e dados topográficos. Além da tradicional imagem do globo terrestre, diversas outras foram disponibilizadas para educadores, cientistas e o público em geral. Em 2005 uma nova leva de imagens foi divulgada, desta vez com fotos mostrando o planeta em cada um dos meses do ano.

Nas imagens de 2005, nosso planeta em cada mês do ano.

Recentemente uma nova versão da Blue Marble foi apresentada para o público. Fruto dos dados coletados pelo recém-lançado satélite Suomi NPP, ela mostra nosso planeta em uma resolução nunca antes vista. Além destas fantásticas imagens, este satélite batizado em homenagem ao pai da meteorologia por satélite, Verner Suomi, vai ajudar a melhorar nossa capacidade de prever fenômenos climáticos e entender os efeitos das mudanças climáticas em longo prazo.

As duas versões da Blue Marble 2012, mostrando os hemisférios ocidental e oriental.
As duas versões da Blue Marble 2012, mostrando os hemisférios ocidental e oriental.

Veja aqui as versões da Blue Marble 2012 em várias resoluções:

Hemisfério ocidental
Hemisfério oriental


  • Paulo André Vieira

    Produtor Editorial formado pela UFRJ, atua em ((o))eco desde 2007 escrevendo sobre geojornalismo e cuidando da edição e gestão do site.

Leia também

Reportagens
22 de setembro de 2021

Mudança climática deve alterar o funcionamento de comunidades de microrganismos marinhos, aponta estudo

Grupo de pesquisadores de várias partes do mundo concluiu que o plâncton do planeta se organiza em consórcios microbianos, em que uma espécie depende da outra para viver

Reportagens
22 de setembro de 2021

Avança no MMA pedido do Ministério da Economia para afrouxar normas ambientais

Pasta comandada por Guedes busca satisfazer demandas do setor privado. Mudanças dão continuidade ao que Salles tentou fazer em maio de 2020, quando sugeriu “passar a boiada”

Notícias
21 de setembro de 2021

Justiça de Rondônia considera inconstitucional lei que extinguiu 11 UCs no Estado

Decisão é novo capítulo de novela jurídica em torno das UCs de Rondônia. Leis posteriores à norma agora considerada inconstitucional ainda colocam em risco áreas protegidas

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta

Comentários 1

  1. pequenas vitórias não compensam os danos causados deliberadamente por legisladores e executivos que estão determinados em reverter as proteções e ganhos ambientais conseguidos a duras penas, nas últimas décadas.