Luciano Candisani e a biodiversidade brasileira

quinta-feira, 16 fevereiro 2006 18:46

Um dos maiores nomes da fotografia ambiental no país, Luciano Candisani nasceu em São Paulo em 1970 e já rodou muito em busca de novos cenários e personagens. Esteve na Antártica, Ilhas Falkland, Patagônia, Amazônia, Atol das Rocas e Ilhas Galápagos. Foi um dos poucos fotógrafos do mundo a empreender uma ampla documentação da vida abaixo do gelo da Antártica e da Patagônia.

Seus trabalhos já receberam prêmios no Brasil e exterior, e foram publicados por dezenas de revistas em vários países. Entre elas a National Geographic, GEO , BBC Wildlife, Illustreret Vindeskab, National Geographic Brasil, Veja e Época. Produziu também livros fotográficos próprios, entre eles Peixe-Boi, a história da conservação de um mamífero brasileiro (DBA, 2001), Atol das Rocas, refúgio ecológico do Atlântico (DBA, 2002), Muriqui, uma jornada fotográfica pelas florestas do maior macaco das Américas (DBA, 2004) e o recém-lançado Arara Azul. Foi cinco vezes indicado ao Prêmio Abril de Jornalismo e quatro vezes vencedor, inclusive com o prêmio de melhor reportagem fotográfica (2004) e destaque de fotografia do ano (2004), ambos por matéria publicada na revista National Geographic Brasil. O diretor da revista, Ronaldo Ribeiro, diz que as imagens de Luciano Candisani “equilibram-se entre a documentação biológica precisa, o rigor estético e a capacidade didática”.

As fotografias apresentadas aqui integram os quatro livros fotográficos de Candisani sobre a biodiversidade brasileira. As imagens foram produzidas com equipamento Nikon (camera F100 e F90s e objetivas entre 16 e 500mm). “Mais recentemente comecei a experimentar com o digital e estou gostando dos resultados. Na produção do meu livro Arara Azul levei uma Nikon D70 só para experimentar e acabei fazendo fotos importantes do trabalho com ela”, conta ele.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.