Fotografia

A aventura de fotografar de Renato Grimm

Fotógrafo de natureza há 10 anos, o gaúcho Renato Grimm ainda volta de cada viagem ansioso para ver se trouxe dessa vez o “clique único”. O Eco responde: sim.

Alexandre Sant´Anna ·
15 de abril de 2005 · 16 anos atrás

Renato Grimm, gaúcho de Ijuí, tem 42 anos e é fotógrafo profissional desde 1995. Especializou-se em fotografia de natureza, ecoturismo, aventura, ecologia e resgate cultural das tradições gaúchas.

Tem três livros publicados: “Estação ecológica do Taim”, “Banhado do Taim” e “Lagoa do Peixe – Paraíso das Aves”. Possui um acervo riquíssimo com mais de 12.000 imagens de natureza, fauna, flora, gente e cultura popular.

Em 1995, Renato fez uma oficina com o fotógrafo Araquém Alcântara, que foi determinante para encontrar o seu caminho profissional. Fez diversas expedições por parques nacionais, descobrindo que a fotografia de natureza era a sua linguagem e a melhor maneira de expressar seu passado de menino de interior. Diz que essa escolha, além de dar rumo à sua vida, trouxe-lhe equilíbrio, paz e tranqüilidade.

Sempre que ele volta de uma viagem, a expectativa é a mesma dos primeiros ensaios. Renato espera “aquela foto mágica”, o clique único, no qual abertura, velocidade, luz e composição dão uma sensação de plenitude que só quem fotografa conhece.

Ele usa câmeras F5, N90 e D70, todas Nikon, com lentes Nikkor 17-35 mm, 24mm, 35-70mm, 80-200mm, 200mm macro, e 500 mm. Seus filmes são Velvia e Provia.

Leia também

Notícias
27 de julho de 2021

Auditoria do TCU aponta erros do governo federal no combate ao desmatamento na Amazônia

O Ministério do Meio Ambiente terá 120 dias para apresentar um plano de ação com cronograma e medidas que corrijam as falhas apontadas pelo TCU, como a asfixia do Ibama por falta de fiscais

Colunas
27 de julho de 2021

O Brasil precisa aprender a viver no Antropoceno

Se vamos ter que navegar pelo Antropoceno, como espécie e como nação, vamos ter que rever nossa organização interna para conter a degradação

Notícias
27 de julho de 2021

MPF entra com ação civil pública contra fusão do Ibama e ICMBio

Procuradores pedem que Ministério do Meio Ambiente e autarquias escutem a sociedade civil e consulte povos afetados antes de qualquer decisão administrativa sobre o fim do ICMBio

Mais de ((o))eco

Deixe uma resposta